Inicio

Estudantes da rede estadual de Iranduba participam de oficinas de piscicultura

oficinas de piscicultura1

FOTOS: EDUARDO CAVALCANTE/SEDUC

Nesta quarta-feira (4), um grupo formado por 45 estudantes de ensino médio matriculados na rede pública estadual de Iranduba esteve em Manaus participando, no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (Ifam/Campus zona leste), de atividades e oficinas práticas desenvolvidas no segmento de Educação do Campo.

Matriculados na escola estadual Senador João Bosco de Lima, localizada em Iranduba, município localizado a 39,1 quilômetros de Manaus, os estudantes participaram de oficinas de piscicultura, suinocultura, permacultura (design de ambientes sustentáveis), meliponicultura (criação de abelhas) e processamento de alimentos.

As atividades fazem parte do projeto “Dia de Campo no Campus”, desenvolvido pelo Ifam e contando com o apoio das Secretarias de Estado de Educação (Seduc) e Municipal de Educação (Semed). A atividade busca oportunizar aos estudantes um dia de práticas de base agroecológicas, coordenados por professores e técnicos especializados.

De acordo com a coordenadora de Educação e Desenvolvimento Rural do Ifam, Cristiane Lima, dentre as propostas da atividade está o incentivo aos alunos para que futuramente ingressem em cursos oferecidos no segmento. “Estamos desenvolvendo um trabalho que visa trazer alunos pertencentes a áreas rurais para vivenciar atividades práticas na área da produção agrícola. Além disso, com as oficinas que realizamos, buscamos incentivar os alunos a conhecerem os cursos técnicos e de ensino superior que o instituto oferece a fim de que futuramente possam ingressar nesse segmento”, afirmou Cristiane Lima.

Segundo o representante da Seduc e coordenador da Educação do Campo, Willas Dias Costa, a participação dos estudantes na atividade é primordial, pois estão inseridos no contexto rural e muitas de suas famílias já atuam no setor de produção agrícola. “A proposta é divulgar os cursos do instituto entre os alunos das áreas rurais através da troca de saberes, do diálogo e compartilhando experiências, de forma a incentivá-los a cursarem as áreas agrícolas e agropecuária. Essas ações podem inclusive contribuir para que eles venham a colaborar com a melhoria da qualidade de vida das populações do campo”, pontuou o Willas Dias.

Aprendizado que se multiplica

Para a estudante do 3º ano do ensino médio, Ane Isabelly Fonseca Cintra, 16, que pretende cursar medicina veterinária, durante a atividade, foi possível aprimorar os conhecimentos que já tinha acerca da produção agrícola. “Futuramente, pretendo, futuramente, estudar medicina veterinária e essa atividade foi importante para aprimorar alguns conhecimentos que já possuo, como a piscicultura. Acredito que o conhecimento adquirido hoje aqui ajudará a minha jornada acadêmica”, explicou a estudante.

Também aluno do 3º ano da escola Senador João Bosco de Lima, Arieliton de Souza Marinho, 19, falou que toda a sua família já atua no setor de produção agrícola e as noções aprendidas durante a atividade servirão para transmitir aos seus familiares. “A partir dessa atividade, levarei para casa muitas noções sobre produção agrícola e será importante para toda a minha família, que já atua nesse segmento”, destacou o aluno.

*Jornal de Humaitá – Com informações da assessoria.