Inicio

PMs do Amazonas trabalham aos trapos, após 5 anos sem receber farda

Cuturno da PM-AM

Cinco anos sem receber novos fardamento, policiais militares trabalham aos trapos em todo o estado. (Foto: Divulgação)

MANAUS – A equipe de reportagem do Metropolitano Notícias recebeu várias denúncias, na manhã desta quinta-feira (12), de cabos e soldados da Polícia Militar do Amazonas (PMAM), referente ao fardamento. Segundo eles, os militares estão trabalhando na segurança pública com os uniformes em péssimas condições. Eles exigem a incorporação no salário do auxílio fardamento, assim como já acontece com a classe dos oficiais.

“Surrados e até mesmo desgastados, essas são as condições do fardamento de um profissional que trabalha nas ruas de Manaus e do interior do Estado. E, principalmente, cuida da segurança da população. É uma vergonha um soldado ter que correr atrás do bandido e ter a sua calça rasgada. Ele vira motivo de chacota. É vergonhoso ainda, no meio de uma ocorrência, um PM ficar sem a sola do sapato. Merecemos respeito por parte do governo, queremos também ter o auxílio fardamento”, declarou um cabo da PM – que teve o nome preservadoWhatsApp-Image-20160511 (2).

Durante a ação policial, os servidores alegam que os uniformes ficam gastos e rasgam. Muitas vezes confeccionados com tecidos de má qualidade e medidas erradas. O material se desgasta num período menor que o tempo determinado devido a exposição climática da Região Amazônica.

Os praças da PMAM precisam tirar do próprio bolso para adquirir os novos fardamentos. Enquanto que em outros estados já existem leis que determinam que as fardas sejam compradas pelos comandos da PM e doadas aos militares na proporção de dois fardamentos de serviço e um uniforme de passeio (traje social).

Farda

Policiais Militares ficam 5 anos sem receber fardamentos e ainda são punidos.

O argumento de não tê-los em condições de uso é insuficiente para o comando. Os militares exigem que o Governo do Estado faça o ressarcimento dos gastos efetuados pelo praça com a aquisição de peças de fardamento necessário para o desempenho de suas atividades operacionais e administrativas na segurança pública.

Segundo os policiais que denunciaram o descaso, os praças só recebem o auxílio fardamento, avaliado em cerca de R$ 5 mil, quando são promovidos a Sargento e apenas por uma única vez.

 A reportagem entrou em contato com o novo comandante da PM, coronel Rubens de Sá Soares, por meio do seu telefone pessoal, mas não obteve sucesso até a publicação desta matéria.

Fonte: Metropolitano