Inicio

Quadrilha faz reféns de escudo humano em assalto a dois bancos em Santa Catarina

[dropcap]U[/dropcap]ma quadrilha fez reféns como escudos humanos durante um roubo a uma agência do Banco do Brasil, por volta das 12h desta segunda-feira, em Praia Grande, no Sul de Santa Catarina. Na fuga, o bando ainda invadiu o Bradesco, que fica ao lado, onde também fez reféns.

Banco roubado no Rio Grande do sul

Foto: Divulgação

Quatro vítimas, incluindo o gerente do Banco do Brasil, foram levadas pelos assaltantes no carro e liberadas cerca de dez quilômetros depois, em direção a Cambará do Sul, no Rio Grande do Sul. Ninguém ficou ferido.

Os quatro criminosos estavam num Fiat Doblò, encapuzados e armados de fuzis, espingarda calibre 12 e pistolas. Segundo a PM, eles abandonaram o veículo e a perseguição aconteceu na localidade de Rio do Boi. O helicóptero Águia da PM também foi mobilizado.

Uma foto divulgada em redes sociais internas de PMs mostra ao menos seis vítimas posicionadas lado a lado na rua em frente ao Banco do Brasil de Praia Grande, que tem 7.370 habitantes.

— Quebraram a porta de vidro com um machado. Era um horário de bastante movimento e foram pegando as pessoas de refém. Depois, as colocaram de mãos dadas e fizeram o cordão humano para garantir a segurança na fuga — disse o delegado Vanderlei Sala.

Na estrada que leva a Cambará do Sul, a quadrilha jogou miguelitos (pregos retorcidos) para furar os pneus dos veículos.

O delegado afirma que a quadrilha levou ao menos R$ 100 mil do Banco do Brasil, dinheiro dos caixas e caixas eletrônicos, os quais haviam sido abastecidos 20 minutos antes por um carro-forte — jornalistas locais afirmam que o valor levado chega a R$ 200 mil. No Bradesco, os ladrões roubaram cerca de R$ 1 mil, pois estavam com pressa e não ficaram muito tempo na agência.

Quadrilha do Rio Grande do Sul

A Polícia Civil do Sul catarinense suspeita que a quadrilha seja do Rio Grande do Sul. O Doblò usado no roubo foi abandonado na fuga. O delegado Sala afirmou que o veículo havia sido furtado em Caxias do Sul, na Serra gaúcha, em abril.

— Pelo trajeto tudo indica que são do Rio Grande do Sul, por onde conseguem fugir rapidamente e onde há várias escapatórias pela Serra — comentou o delegado regional de Araranguá, Diego de Haro.

Onda de assaltos a bancos no interior

O ataque em Praia Grande é mais um na série de assaltos a bancos no interior catarinense, em praticamente todas as regiões.

Banco do Brasil em Monte Castelo.Foto: Divulgação / PM/SC

Banco do Brasil em Monte Castelo. Foto: Divulgação / PM/SC

Os alvos geralmente são cidadezinhas pequenas em que há pouco efetivo da Polícia Militar.

Na madrugada de sábado, às 3h40min, uma quadrilha invadiu o Banco do Brasil de Monte Castelo, no Planalto Norte, e explodiu os caixas eletrônicos com dinamite.

Os bandidos estavam em uma Duster e em uma Hilux e dispararam contra o posto da PM. A suspeita é que portavam fuzis e eram entre cinco a seis homens. Ninguém foi preso.

Outro ataque aconteceu na madrugada de sexta-feira, em Cerro Negro, na Serra.Ladrões invadiram o Sicoob e levaram um cofre de 500 quilos com cerca de R$ 150 mil. Antes, o bando furou os pneus da viatura da PM na cidade.

Ataque em Cerro Negro, na Serra.Foto: Divulgação /

Ataque em Cerro Negro, na Serra. (Foto: Divulgação)

Fonte: Diário Catarinense