Destaque

Reordenamento na saúde vai tornar atendimento menos oneroso e mais eficiente, afirmam secretários de Governo

Reordenamento na saúde vai tornar atendimento menos oneroso e mais eficiente, afirmam secretários de Governo
Geovanni

pedro eliasO reordenamento das unidades de saúde da rede estadual na capital não vai comprometer o atendimento, mas torná-lo menos oneroso e mais eficiente. A garantia é da equipe de secretários escalada pelo Governo do Amazonas para esclarecer a população amazonense sobre as mudanças na área e debatê-las com a sociedade.

“Conforme o programado, estamos levando as informações à comunidade, ao Parlamento, aos órgãos de fiscalização e controle e a várias outras instâncias, esclarecendo como serão efetivadas as medidas anunciadas pelo Governo do Estado e abrindo para o debate com a sociedade”, disse o secretário estadual de Saúde, Pedro Elias de Souza.

Nesta segunda-feira, dia 31, o secretário esteve reunido com o Conselho Estadual de Saúde, enquanto os secretários de Administração, Evandro Melo, de Planejamento, Thomaz Nogueira, de Fazenda, Afonso Lobo, e o secretário adjunto de Atenção Especializada da Capital, Wagner de Souza, foram à Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM) apresentar as medidas a um grupo de deputados estaduais da base governista, liderados pelo líder do Governo David Almeida. A reunião precede a ida da equipe de governo ao plenário da ALE-AM, marcada para a próxima terça-feira, dia 7.

Ainda na segunda-feira, dia 30, pela manhã, junto com o secretário municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão, Pedro Elias reuniu-se com membros do Ministério Publico Estadual (MPE) e Federal (MPF) e, à tarde, esteve à frente dos debates na Câmara Municipal de Manaus (CMM), ao lado dos demais secretários escalados para a missão.

Com os debates, o Governo pretende mostrar que a economia de cerca de R$ 300 milhões prevista com o reordenamento da saúde visa preservar os serviços de média e alta complexidade, de responsabilidade do Estado, como os hospitais, os prontos socorros infantis e adultos e as fundações de saúde, que não sofrerão alteração.

“Não pretendemos apenas economizar, mas ganhar em escala, reduzir o custo fixo e continuar mantendo os serviços essenciais para saúde”, disse o secretário de Fazenda, Afonso Lobo, ao afirmar que, com a crescente queda na arrecadação, o Estado não conseguirá manter os serviços essenciais à população até o fim do ano, se não fizer o reordenamento e a economia prevista.

No caso das maternidades, a reestruturação prevê o aumento de 62 leitos no Instituto Dona Lindu, zona centro-sul, de 30 leitos na maternidade Azilda Marreiro, zona norte, e mais 30 leitos na maternidade Ana Braga, zona leste. Com a mudança, a Maternidade Alvorada, na zona centro-oeste, será um Centro Especializado em Atendimento Ginecológico, enquanto a Nazira Daou, na zona norte, vai reforçar a estrutura do Hospital Francisca Mendes.

“Teremos maternidades em todos os Distritos de Saúde”, observa o responsável pela Saúde da capital, Wagner de Souza. Segundo ele, a lógica do reordenamento proposta pelo Governo visa concentrar os gastos naquilo que é essencial para a população, levando unidades menores para dentro de unidades maiores com mais estrutura, além de acabar com a sobreposição de unidades que fazem o mesmo tipo de atendimento numa mesma área.

O Governo também pretende corrigir distorções que existiam na rede de assistência básica, como é o caso do atendimento segmentado prestado pelos Centros de Atenção Integral ao Idoso (CAIMI) e Centro de Atenção Integral à Criança (CAIC). Na nova configuração, o foco da assistência básica será na família, fazendo com que a criança, o adulto e o idoso possam ser atendidos na mesma unidade.

Para atender a esta demanda, estão sendo criados dois novos tipos de equipamentos: os Centros de Atenção Integral à Família (CAIFs) e os Centros de Atenção Integral à Família/Pronto Atendimento (CAIFs/PA), sendo estes últimos com horário ampliado até às 22 horas. “Não justifica mais termos numa mesma área um equipamento atendendo à criança, um outro a mãe e outro só para o idoso. Tanto a Organização Mundial de Saúde (OMS) quanto o Sistema Único de Saúde (SUS) preconizam que a assistência básica é focada na saúde da família”, justifica o secretário Pedro Elias.

Segundo o secretário de Administração, Evandro Melo, o Estado está ampliando em 10% a capacidade de atendimento na rede básica de saúde, que é de competência do município. “Estamos preservando as unidades que são da nossa responsabilidade, como os prontos socorros e hospitais e reordenando a saúde básica para torná-la menos onerosa e mais eficiente”, explicou. De acordo com ele, a mudança se dará com a transformação de quatro Serviços de Pronto Atendimento e de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) em CAIF.

“Não haverá perda, porque estudos mostram que 70% dos que procuram os prontos socorros hoje são pacientes em situação de agravo de doenças crônicas que deveriam ter sido atendidos na assistência básica antes de agudizar. Se ele fizer o controle na Unidade Básica, não precisará ir na emergência”, observa. Evandro Melo informou ainda que os SPAs do São Raimundo e o Joventina Dias, na zona oeste, estão entre as unidades que vão funcionar como CAIF/PA de horário ampliado.

O secretario de Planejamento, Thomaz Nogueira, também defende a proposta governamental, ao garantir que o essencial está sendo mantido e até ampliado. “Dentro do quadro de crise, construímos a solução tecnicamente evolutiva para a questão da saúde, cortando em alguns pontos  que são importantes, mas não essenciais. Queremos dizer que a proposta não foi feita no sentido de reduzir os direitos da população, mas para preservá-los”.

 

FOTOS: NATHALIE BRASIL/SECOM

Comentários

Comentários

Destaque

More in Destaque

PF desarticula grupo criminoso que desviou recursos das obras do Mané Garrincha

Jornal de Humaitá24 de maio de 2017

Polícia apreende 20 kg de maconha do tipo skunk no bairro Glória

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017

Alessandra Campêlo articula reunião no Comando da PM para discutir promoções

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017

Deputado Cabo Maciel quer rever portaria que deixa policiais militares desarmados

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017

Seduc fará encontro com a temática: Estratégias de Educação Alimentar e nutricional para professores de Ensino Fundamental 1

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017

SEDUC realiza o 4º aulão do Amazonas no Enem sem Fronteiras acontece neste sábado, 20

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017

Esporte tem programação especial no aniversário de 148 anos de Humaitá; confira

Jornal de Humaitá15 de maio de 2017

Amazonas se mobiliza para vacinar 900 mil pessoas

jornal de Humaitá14 de maio de 2017

Ex-prefeito de Humaitá ‘Dedei Lobo’ é o novo secretário de Estado de Produção Rural do AM

jornal de Humaitá13 de maio de 2017
%d blogueiros gostam disto: