Cidades

Agência de Cooperação Internacional do Japão visita Escola Estadual de Tempo Integral Bilíngue Djalma Batista

Agência de Cooperação Internacional do Japão visita Escola Estadual de Tempo Integral Bilíngue Djalma Batista
Geovanni

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Nesta sexta-feira, dia 29 de julho, a Escola Estadual de Tempo Integral Bilíngue Djalma da Cunha Batista, localizada na avenida General Rodrigo Otávio, 1.600, bairro Coroado I, em frente à Universidade Federal do Amazonas (Ufam), na zona leste de Manaus, recebeu a visita de uma comitiva de professores japoneses que vieram por meio da Agência de Cooperação Internacional do Japão (Japan International Cooperation Agency – Jica).

A comitiva é formada por 14 pessoas, sendo 10 professores, 3 funcionários da Jica de Brasília e um intérprete. Os 10 docentes que vieram do Japão são das províncias de Kanagawa e Yamanashi. Além da equipe de professores, o vice-cônsul Yoshinari Oda também esteve presente durante a visita para acompanhar os docentes japoneses.

A equipe de professores está no Brasil devido a um treinamento em que eles realizam uma troca de experiência, conhecendo a realidade de outros lugares, levando as informações e as vivências do treinamento para as escolas em que lecionam e trabalhar isso com seus alunos.

Interação – As programações tiveram início às 9h, com a chegada da comitiva de professores na escola. A recepção dos professores foi feita por um grupo de alunos, que interpretaram o hino nacional do Japão. Na sequência, as atividades foram marcadas por um momento de interação com os estudantes, além de apresentações culturais. Os professores apresentaram algumas canções em língua japonesa para as crianças, proporcionando diversão e um momento de interação com os estudantes.

A equipe que visitou a escola também acompanhou as aulas de matemática e ciências (ministradas em língua japonesa) e uma aula de língua japonesa, em que o professor ensina a alfabetização do idioma.

De acordo com o gestor da escola, Orlando Moura, programações como essa são sempre muito importantes para a divulgação do trabalho desenvolvido pela instituição de ensino. “É sempre um privilégio poder divulgar o trabalho realizado nesta instituição, que já se destaca por ser a primeira escola pública bilíngue em língua japonesa no Brasil. O nosso objetivo é fazer com que os alunos não só aprendam a língua japonesa, mas também que se apropriem da cultura e princípios japoneses”, afirmou o professor.

Ainda segundo o gestor, a visita realizada pela Jica é consequência de outra visita realizada pelo embaixador do Japão no Brasil, Kunio Umeda, e do representante chefe da Jica, Ryuichi Nasu, no mês de março de 2016.

Incentivo – A representante da Jica, Asuka Sakai, disse que percebeu a necessidade do ensino da língua Japonesa no Amazonas porque existem muitas empresas japonesas no local.

“Acredito que esse incentivo é bom para esses alunos, porque eu estou vendo que é uma necessidade aqui da cidade, porque o local possui muitas empresas japonesas no Polo Industrial. As crianças já têm essa facilidade de aprender línguas, então elas podem trabalhar com qualquer idioma também, mas a língua japonesa foi escolhida justamente por causa da realidade e necessidade do estado do Amazonas”, disse.

Benefícios – A representante disse também que essa iniciativa de implantar uma escola bilíngue em língua japonesa pode trazer muitos benefícios para os alunos.

“Como temos bastante japoneses morando aqui, acredito que esse incentivo irá trazer muitos resultados bons não só para crianças aprenderem a língua japonesa, tradição, costume, mas também as lendas japonesas, cultura. Eles irão ficar mais abertos para outras culturas e terão mais facilidade de aprender outras línguas também”, relatou.

O aluno do 6º ano do ensino fundamental, Christian Rafael Lima, 11 anos, disse que a visita dos professores japoneses o motiva mais a aprender o idioma.

“Me sinto motivado em presenciar visitas como essa, porque sinto mais vontade em aprender japonês porque além de aprendermos uma língua nova, nós, os alunos podemos influenciar os nossos pais para estudar japonês, e que podemos aprender novos idiomas, falar frases, realizar auto apresentação e se aperfeiçoar também”, contou.

Agência de Cooperação Internacional do Japão – A Jica é o órgão do governo japonês responsável pela implementação da Assistência Oficial para o Desenvolvimento (Oda), que apoia o crescimento e a estabilidade socioeconômica dos países em desenvolvimento com o objetivo de contribuir para a paz e o desenvolvimento da sociedade internacional. Com uma rede de escritórios que se estende por quase 100 países, a Jica presta assistência a mais de 150 países no mundo todo.

A Jica defende uma visão de desenvolvimento dinâmico e inclusivo. Para isso, a Jica possui quatro missões, que são: desafios que acompanham a globalização como mudanças climáticas e questões relacionadas a este tema; redução da pobreza e crescimento justo; melhoria da governança, como políticas e sistemas de governo de países em desenvolvimento; e garantias da segurança humana.

FOTO: VALDO LEÃO/SECOM

Comentários

Comentários

Cidades

More in Cidades

Nova coleta sorológica será realizada em rebanho de 12 municípios no Amazonas

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017
Foto: Chaguinha

Milhares comemoram aniversario de 148º anos de Humaitá (AM) com Antony & Gabriel

Jornal de Humaitá15 de maio de 2017

Amazonas se mobiliza para vacinar 900 mil pessoas

jornal de Humaitá14 de maio de 2017

Estudo que tem apoio da Fapeam utiliza resíduos de pirarucu na criação de ração para galinhas poedeiras

Jornal de Humaitá12 de maio de 2017

Seap e PM apreendem estoques e celulares durante revista no Ipat

Jornal de Humaitá11 de maio de 2017

Delegado de Autazes deflagra operação Interior Seguro e recaptura foragido da unidade policial

Jornal de Humaitá9 de maio de 2017

Alunos são dispensados por falta de merenda em escolas de Humaitá-AM

Jornal de Humaitá9 de maio de 2017

Delegação amazonense segue para Brasileiro Adulto de Levantamento de Peso, em Belo Horizonte

Jornal de Humaitá9 de maio de 2017

Prefeitura diz que “oposição não precisa plantar bananeira nas ruas de Lábrea-AM”

Jornal de Humaitá8 de maio de 2017
%d blogueiros gostam disto: