Inicio

MEMÓRIA: UNIDADE AVANÇADA EM HUMAITÁ (AM) COMEMORA 43 ANOS

incra

Servidores comemoraram 43 anos da Unidade Avançada de Humaitá (AM).

Em junho deste ano a Unidade Avançada do Incra em Humaitá completou 43 anos de serviços no Sul do Amazonas. Com objetivo de regularizar, ocupar e colonizar uma das regiões de mais difícil acesso, a Unidade Avançada foi implantada pelo Incra em 1973 e é oriunda do Projeto Fundiário Humaitá.

A história da Unidade Avançada do Incra na cidade se confunde com a história do Sul do Amazonas e da ocupação brasileira na Amazônia. Localizada às margens do Rio Madeira, a cidade polo de Humaitá concentra o comércio e os serviços na região e é considerada a mais produtiva na agricultura do estado. “Parte desta conquista é atribuída a presença da Unidade na cidade” segundo o servidor do Incra em Humaitá Raimundo José Almeida Batista.

Em seus 43 anos foram feitos atendimentos e orientações em uma jurisdição maior do que a de países como Inglaterra, em uma área equivalente ao Uruguai. A área de atuação da unidade é de cerca de 19,6 milhões de hectares, abrangendo os municípios de Humaitá, Borba, Apuí, Novo Aripuanã, Manicoré, Canutama e Tapauá. No total, a Unidade Avançada é responsável por cerca de 10% da área do estado que é de 1.571.000 km².

O Incra em Humaitá, formado pelo seu quadro de servidores e colaboradores, se sente parte de realizações da população beneficiada, de acordo com Batista. “Foram sonhos concretizados por anos e anos. Regularizando terras ou promovendo que, nos assentamentos, agricultores fossem inseridos em programas sociais e convivessem com suas diferenças mas com objetivos similares”, constatou Batista em almoço de comemoração dos 43 anos da Unidade Avançada, na sexta-feira passada (17).

Para Batista, as Unidades Avançadas como a de Humaitá contribuem para desenvolvimento da região para efetuar a presença do serviço público. “A permanência das Unidades é importantíssima para os recantos longínquos desse País; quem diverge dessa visão é quem desconhece os heróis anônimos que desbravaram ou que asseguraram direitos constitucionais para quem mora longe de tudo. E o Incra sempre esteve presente”, avaliou o servidor do Incra desde
1982.

Histórico

A região que abrange a jurisdição da Unidade Avançada de Humaitá é uma área tipicamente amazônica, recortada por rios de grande e médio porte. Os primeiros títulos emitidos pelo Governo do Estado, margeando cada acesso aquático, consideradas as rodovias naturais do estado, garantiram a seus proprietários a posse de áreas muitas vezes obtidas a braço de ferro. Estes grandes proprietários foram denominados “Coronéis de Barrancos” e eram figuras centrais na história da ocupação do estado, sobretudo no ciclo da Borracha. É desta época que as relações de trabalho do extrativismo da seiva das seringueiras, o látex, na época chamado de ouro branco, também criou outro fenômeno, a chamada escravidão branca.

Com a instalação do Incra na região, foram discriminadas (glebas) e demarcadas terras públicas, regularizando a ocupação do território e promovendo a titulação de imóveis rurais na região. Com a chegada do Incra, da regularização e do ordenamento fundiário, definiu-se quais terras seriam destinadas a particulares e, então, demarcadas as terras da União. A medida assegurou terras aos extrativistas e a colonos que ali habitavam e estimulou a chegada de famílias de outras regiões, a partir da década de 1960, em busca de se tornarem proprietários de um lote de terra.

Fonte: Incra