Destaque

Opinião: Beleza imposta

Opinião: Beleza imposta
Geovanni

“A pessoa vistosa se destaca em um ambiente”. Frase corriqueira no cotidiano. O consenso é claro: ser bonito garante uma vantagem, pois independentemente de sua competência, você dará um motivo a mais para as pessoas lhe olharem com atenção. A busca exagerada pela beleza, todavia, pode se tornar um grilhão. Ser deu lugar ao parecer. O uso de máscaras esconde quem as pessoas realmente são.

Em uma academia qualquer, uma mulher malhava freneticamente. O ritmo frenético condenava a frequência a qual permanecia no ambiente. Muito tempo, desde cedo pela manhã. Tornar-se ‘malhada’ era sua ambição e, paralelamente, sua maldição. Sem perder a pose, se via obrigada a reforçar a pesada maquiagem a cada exibição. O suadouro fazia a máscara entrar em colapso. O personagem precisava ser mantido.
Sem a maquiagem, a mulher era uma; com, era outra completamente diferente. Isso afora o fato de ela sofrer para a realização das séries. A beleza nunca insurgiu com tanta evidência como nos tempos atuais. Estar fora do padrão é sentir-se excluído. Talvez seja essa a razão para tantas pessoas de idade desejarem permanecer jovens. Alguns casos são alarmantes: a cara está tão repuxada que se mostra incapaz de demonstrar sentimentos.
Ser bonito está arraigado na sociedade. Para tanto, surgiram nos últimos anos inúmeros tratamentos estéticos que tornaram o corpo humano uma verdadeira massinha de modelar. Muitos têm dificuldade de encontrar a beleza da idade e, menos ainda, aceitar que os anos passam sem que possamos congelá-lo. Se um estilo ou jeito é imposto, eis o desafio pessoal de cada um. Afinal, interessa o que você pensa de si ou o que os outros pensam de você?
A beleza, a bem da verdade, está ao alcance de cada de um. Não existe regra ou padrão. Existem, sim, pessoas que desejam lhe vender algo. Não há pessoa feia. Feia é a pessoa que se sente infeliz do jeito que é. Se você quiser mudar, faça isso. Mas ceda à otimização de traços naturais, isto é, evite a submissão a identidades artificiais. De outro modo, você nunca será feliz. Os padrões mudam constantemente. Você, por outro lado, é único para o resto da vida.
Por: Gabriel Bocorny Guidotti
Jornalista e escritor
Porto Alegre – RS (Brasil)

Comentários

Comentários

Destaque

More in Destaque

Revolta Nacional: Filho se explica após ser preso por agredir a mãe

Jornal de Humaitá26 de maio de 2017

Boatos espalhados pelo WhatsApp causam a morte de 7 pessoas

Jornal de Humaitá26 de maio de 2017

PF desarticula grupo criminoso que desviou recursos das obras do Mané Garrincha

Jornal de Humaitá24 de maio de 2017

Polícia apreende 20 kg de maconha do tipo skunk no bairro Glória

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017

Alessandra Campêlo articula reunião no Comando da PM para discutir promoções

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017

Deputado Cabo Maciel quer rever portaria que deixa policiais militares desarmados

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017

Seduc fará encontro com a temática: Estratégias de Educação Alimentar e nutricional para professores de Ensino Fundamental 1

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017

SEDUC realiza o 4º aulão do Amazonas no Enem sem Fronteiras acontece neste sábado, 20

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017

Esporte tem programação especial no aniversário de 148 anos de Humaitá; confira

Jornal de Humaitá15 de maio de 2017
%d blogueiros gostam disto: