Brasil

Sérgio Moro sugere medidas de combate à corrupção em audiência na Câmara dos Deputados

Sérgio Moro sugere medidas de combate à corrupção em audiência na Câmara dos Deputados
Geovanni

Foto_Ag. LiderançaA comissão especial que analisa as dez medidas contra a corrupção ouviu nesta quinta-feira (04/08), na Câmara dos Deputados, o juiz Sergio Moro. Responsável pela investigação da lava-jato na primeira instancia, Moro criticou o que chamou de naturalização da corrupção no País. Ele elogiou o pacote de medidas contra a corrupção e fez sugestões à comissão especial para aperfeiçoar a proposta.

Entre as recomendações, a alteração de parte do texto sobre prisão preventiva e exclusão de provas obtidas de forma ilegal por parte de autoridades policiais. As sugestões são de ordem técnica e não mudam a base das propostas.

Também serão ouvidas pela comissão especial promotores, procuradores e representantes da Ordem dos Advogados Brasil (OAB). A comissão aprovou 44 requerimentos de convite a autoridades para participar de audiências públicas. O relator, deputado Onyx Lorenzoni, disse que pretende ouvir todos os órgãos que sejam relevantes para a comissão e realizar mais de 60 oitivas.

Para o deputado Marcos Rogério (DEM-RO), que também integra a comissão, a participação dessas autoridades será importante para a construção de uma norma atualizada e eficiente para o combate à corrupção.

“O momento que o Brasil vive exige medidas efetivas de enfrentamento à corrupção e que seja uma espécie de antidoto, de preventivo para o que está acontecendo. É um momento importante para a comissão e a partir de agora os parlamentares terão um norte para a elaboração da proposta”, disse.

Responsável pelo processo que aprovou a cassação de Eduardo Cunha no Conselho de Ética da Câmara, o deputado Marcos Rogério ressaltou o trabalho de parlamentares da Casa para combater de forma efetiva e eficiente a corrupção no Brasil, que na avaliação de Marcos Rogério se tornou endêmica no país.

“Nesta Casa tem aqueles que querem a apuração dos fatos, um julgamento célere e a condenação de quem deve, esteja no partido que estiver, seja executivo da maior ou da menor empresa. Seja ele quem for. A lei é para todos e a justiça não é e não deve ser seletiva”, concluiu o deputado democrata.

*Jornal de Humaitá – Com informações da assessoria.

Comentários

Comentários

Brasil

More in Brasil

PDT festeja 35 anos de história nesta quinta-feira

Jornal de Humaitá26 de maio de 2017

Alessandra Campêlo e Maria do Teixeirinha unidas por Canutama

Jornal de Humaitá26 de maio de 2017

Revolta Nacional: Filho se explica após ser preso por agredir a mãe

Jornal de Humaitá26 de maio de 2017

Cantor e vereador da Bahia ‘Igor Kannário’ diz que é mais autoridade que PM

Jornal de Humaitá23 de maio de 2017

Prevenção à intolerância é tema de Mesa Redonda na Aleam

Jornal de Humaitá23 de maio de 2017

Governador quer zerar filas de espera na Saúde do Amazonas em 90 dias

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017

Polícia apreende 20 kg de maconha do tipo skunk no bairro Glória

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017

Governo inicia reparos no prédio que abrigará migrantes venezuelanos

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017

Alessandra Campêlo articula reunião no Comando da PM para discutir promoções

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017
%d blogueiros gostam disto: