Amazonas

Maioria dos projetos aprovados no Paic/Fapeam é da área de saúde

Maioria dos projetos aprovados no Paic/Fapeam é da área de saúde
Geovanni

Pesquisas selecionadas no edital 2016/2017 já estão sendo realizadas e abrangem 14 fundações e instituições de ensino superior.

Projetos de pesquisas voltados para a saúde dominam a nova edição do Programa de Apoio à Iniciação Científica da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Paic/Fapeam), cujo edital 2016/2017 já está em prática. Entre as propostas aprovadas se destacam: vigilância em saúde, medicina, epidemiologia/estatística, farmácia, fisioterapia, psicologia, biblioteconomia, história da saúde, enfermagem, nutrição, serviço social e ciências sociais.

Neste edital, foram concedidas 763 bolsas de iniciação científica, um investimento na ordem de R$ 3,6 milhões. Atualmente, 14 instituições de ensino e pesquisa são beneficiadas com bolsas de iniciação científica fomentadas pela Fapeam. No período de 2015/2016 foram investidos mais de R$ 7 milhões para pagamentos de 1,5 mil bolsas nesta modalidade. O número corresponde a 10% do total de investimentos da Fapeam.

A diretora técnico-científica da Fundação de Amparo à Pesquisa, Andrea Waichman, ressalta que o Amazonas é o único Estado a ter o programa de iniciação científica em todas as fundações de saúde, financiado exclusivamente pela instituição. A área da saúde sempre agrega a maior parte dos projetos aprovados no âmbito do Paic. Na edição 2015/2016, finalizado no primeiro semestre deste ano, um dos destaques foram pesquisas relacionadas ao controle da malária.

Malária – Um exemplo foi a pesquisa desenvolvida pela estudante de Biomedicina, Suzan Vieira, sob a coordenação da doutoranda em Doenças Tropicais e Infecciosas, Rosa Santana. O projeto cria em laboratório o Anopheles darlingi, principal vetor de malária na região amazônica, para estudos de biologia, controle e combate da doença.

O estudo é desenvolvido na Fundação de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado (FMT/HVD). De acordo com a coordenadora da pesquisa, não existem estudos específicos com a espécie que tem hábitos extremante silvestres, próprio do ambiente natural, o que acaba dificultando a colonização do animal no laboratório.

“Essa é uma espécie de grande interesse científico por ser o principal transmissor da doença, por isso existe a necessidade de ter a criação dentro do laboratório para que se possam realizar análises comportamentais, ciclo biológico e, principalmente, para analisarmos a interação do parasita hospedeiro”, explicou a pesquisadora.

A estudante de iniciação científica Suzan Vieira explicou que sempre é realizada a coleta em campo, onde são capturadas as fêmeas já copuladas para o laboratório. “Nós as alimentamos e aguardarmos os dias para que elas coloquem os ovos que, posteriormente, viram as larvas e depois as pupas e os adultos”, disse.

 

pesquisa-paicTeste rápido dengue – Outra pesquisa desenvolvida pelo Paic no âmbito da saúde é sobre um método para agilizar o diagnóstico da dengue no Sistema Único de Saúde (SUS). O estudo está sendo feito pelo estudante em Ciências Biológicas, Arlesson Viana, do Instituto Federal do Amazonas (Ifam), bolsista da Fapeam no Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia).  A pesquisa analisa um método simplificado com potencial utilização pela rede básica de saúde para diagnostico molecular da dengue.

De acordo com o estudante, atualmente, a dengue é diagnosticada apenas por técnicas sorológicas e, como o vírus Zika está circulando na região e está próximo do vírus da dengue, pode causar uma reação cruzada.  Ele explicou que se o antígeno do Zika reagir, por exemplo, pode haver uma confusão de resultados ao se crer que seria uma dengue.

“Quando trabalhamos com o teste molecular estamos trabalhando com material genético do vírus e temos certeza que aquela espécie de vírus é a que foi amplificada através da técnica de Lamp (LoopMediated Isothermal Amplification). Isso ajuda no tratamento, na questão epidemiológica no nosso país e a diferenciação de qualquer arbovirose circulante na nossa região”, explicou o estudante.

Viana acrescentou que um paciente chega a aguardar até sete dias para poder ser diagnosticado com dengue. Com o método, ele explica, que a partir do primeiro dia de sintoma já é possível fazer a coleta, extração do material genético e a amplificação pela técnica de Lamp.

“De sete dias podemos dar o resultado em até uma hora. No SUS é utilizado apenas técnica sorológica iGg e NS1. Que espera-se em média sete dias pra poder confirmar diagnóstico para iGg. O diferente do LAMP é que se trabalha com o material genético do vírus”, explicou.

Instituições onde são desenvolvidas as pesquisas – As 14 instituições de ensino e pesquisa que desenvolvem projetos aprovados no Paic são: Censipam, Embrapa, FCecon, Fundação Hospital Adriano Jorge (FHAJ), FHemoam, Fiocruz Amazônia, Fundação de Medicina Tropical (FMT-HVD), Fundação Alfredo da Matta (Fuam), Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV), Ifam, Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e Universidade Federal do Amzonas (Ufam).

Comentários

Comentários

Amazonas

More in Amazonas

PDT festeja 35 anos de história nesta quinta-feira

Jornal de Humaitá26 de maio de 2017

Alessandra Campêlo e Maria do Teixeirinha unidas por Canutama

Jornal de Humaitá26 de maio de 2017

Prevenção à intolerância é tema de Mesa Redonda na Aleam

Jornal de Humaitá23 de maio de 2017

Polícia apreende 20 kg de maconha do tipo skunk no bairro Glória

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017

Alessandra Campêlo articula reunião no Comando da PM para discutir promoções

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017

Universo infantil na música erudita está em ‘Canções de Ninar’, quarto espetáculo da série Recitais Ambev

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017

Empresas com IPVA em atraso são notificadas pela Sefaz

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017

Maués cria política inovadora para aumentar produção do guaraná

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017

Policiais militares de Boa Vista do Ramos detêm integrantes de bando criminoso

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017
%d blogueiros gostam disto: