Amazonas

Novos talentos das artes cênicas apresentam-se no espetáculo ‘Aycunã’

Novos talentos das artes cênicas apresentam-se no espetáculo ‘Aycunã’
Geovanni

Alunos do curso de Teatro Juvenil do Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro – Unidade do Centro de Convivência da Família Magdalena Arce Daou apresentam espetáculo teatral indígena de valorização do meio ambiente.

Um projeto de iniciação às artes de grande sucesso, idealizado e criado pelo Governo do Amazonas, o Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro, lança, a cada ano, para o cenário cultural da região, novos talentos. E, na preparação e lapidação desses novos talentos, várias atividades artística e de contato com o público são postas em prática, ao longo de todo o processo de formação.

Desta forma, nesta quarta-feira (21), um novo espetáculo teatral será apresentado pelos alunos do curso de Teatro Juvenil do Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro – Unidade do Centro de Convivência da Família Magdalena Arce Daou, localizado na Avenida Brasil, s/nº – Santo Antônio, no Cine Teatro Aldemar Bonates, reunindo ao todo 25 jovens entre 14 e 17 anos, além da equipe técnica do Liceu.

Sob a coordenação do professor Elton Negreiros, o espetáculo terá duas sessões: às 16h e às 18h. De acordo com ele, os alunos já estão prontos. ”Dentro de toda a preparação, os alunos aprenderam sobre a cultura do Amazonas. Conheceram sobre suas próprias raízes, suas lendas… fizeram um mergulho na cultura indígena e ainda aprenderam sobre ecologia e consciência ambiental”, declarou.

Aycunã e a Terra Prometida, Ewarê – Peça montada em 2013, Aycunã foi escrita por Leonel Worton, diretor de teatro amazonense, para o Festival de Teatro da Amazônia, onde obteve prêmios. Na releitura atual, o elenco é composto por alunos do Centro de Convivência da Família Magdalena Arce Daou e com base em leituras e pesquisas na área.

Aycunã é uma índia da etnia Tikuna que vive a experiência de passar pelo rito de passagem de menina-moça para mulher e, nesta fase, recebe a incumbência de fazer voltar a chover no seu povoado. Durante a realização da missão recebida, entra em contato com várias personagens, como o Gavião, a Cutiara, o Mapinguari, o Daiarê (espírito da floresta), com os quais dialoga. Assim, Aycunã passa a refletir sobre sua missão e a repensar em como chegar à terra prometida, Ewarê.

Para a diretora do Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro, Cristiana Brandão, apresentações como essa mostram o nível técnico dos alunos e os encorajam a alçarem novos patamares. “Os espetáculos são oportunidades de mostrar todo o aprendizado dos jovens de forma prática, frente ao público. Uma verdadeira prova de fogo! Também dá à comunidade espectadora a perfeita noção do tipo de trabalho que é executado pelos profissionais do Liceu”, finalizou.

Comentários

Comentários

Amazonas

More in Amazonas

PDT festeja 35 anos de história nesta quinta-feira

Jornal de Humaitá26 de maio de 2017

Alessandra Campêlo e Maria do Teixeirinha unidas por Canutama

Jornal de Humaitá26 de maio de 2017

Prevenção à intolerância é tema de Mesa Redonda na Aleam

Jornal de Humaitá23 de maio de 2017

Polícia apreende 20 kg de maconha do tipo skunk no bairro Glória

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017

Alessandra Campêlo articula reunião no Comando da PM para discutir promoções

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017

Universo infantil na música erudita está em ‘Canções de Ninar’, quarto espetáculo da série Recitais Ambev

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017

Empresas com IPVA em atraso são notificadas pela Sefaz

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017

Maués cria política inovadora para aumentar produção do guaraná

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017

Policiais militares de Boa Vista do Ramos detêm integrantes de bando criminoso

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017
%d blogueiros gostam disto: