Amazonas

Seduc lança site do Projeto Rede de Letras e amplia ferramentas de utilização para os professores

Seduc lança site do Projeto Rede de Letras e amplia ferramentas de utilização para os professores
Geovanni

Com orientações pedagógicas para otimizar as ações do Projeto Rede de Letras, a Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (Seduc), por meio de Departamento de Políticas e Programas Educacionais e da Gerência do Ensino Fundamental, lançou, nesta terça-feira (13), um site institucional do projeto, que pretende facilitar a adesão pelos professores, assim como ampliar a utilização de ferramentas que auxiliem a aplicação do projeto nas escolas. O lançamento foi realizado em formato de teleconferência via Centro de Mídias de Educação e foi direcionado aos professores que atuam nos municípios do interior do Amazonas.

Contando com um acervo literário diversificado, voltado para os alunos do Ensino Fundamental (1º ao 9º ano), o projeto Rede de Letras é uma ação inédita da rede pública estadual do Amazonas e possibilita a compreensão e a interpretação de diversas obras literárias, associadas ao entendimento consciente e crítico dos estudantes.

A programação contou com a participação do coordenador do projeto Rede de Letras, Lucas Oliveira; da gerente do Ensino Fundamental Anos Iniciais da Seduc, Nelyzabel Carneiro e do gerente do Ensino Fundamental Anos Finais da Seduc, Eriberto Façanha.

No projeto, uma das vertentes desenvolvidas é a formação continuada para professores por meio de cursos presenciais e à distância com a utilização do Centro de Mídias de Educação do Amazonas.

Segundo o gerente do Ensino Fundamental Anos Finais da Seduc, Eriberto Façanha, quanto maior a quantidade de obras lidas pelos estudantes, maior será a sua capacidade de interpretação e visão crítica. “Com os acervos disponibilizados às escolas da rede pública estadual que oferecem o ensino fundamental, os estudantes têm acesso a diferentes conteúdos, que estimulam diferentes interpretações. Com isso, os estudantes irão cada vez mais aperfeiçoando seu nível de escrita, leitura e interpretação”, informou o professor, afirmando que somente neste ano foram distribuídos mais de 50 mil livros para as escolas beneficiadas pelo projeto.

Site Rede de Letras – Com o lançamento do site do projeto Rede de Letras, o professor tem acesso a ferramentas de auxílio, projetos de possíveis projetos de leitura e atividades complementares relacionadas às obras contempladas pelo projeto, que podem ser adaptados à realidade de cada escola. As obras estão segmentadas de acordo com cada nível de ensino.

Uma das novidades do site, que já se encontra disponível para acesso, é o espaço do professor, uma opção que permitirá aos educadores a divulgação de seus projetos individuais de leitura.  Atualmente, o projeto beneficia mais de 440 mil alunos de 670 escolas estaduais da capital e do interior.

Dentre as vantagens do projeto, de acordo com o coordenador da ação na SEDUC, professor Lucas Oliveira, é a possibilidade de inserir a leitura no dia a dia dos estudantes, desde o 1º ano do Ensino Fundamental, favorecendo o seu aprendizado durante toda a sua jornada acadêmica.

“O projeto Rede de Letras é mais um investimento que o Governo está fazendo para melhorar a qualidade da educação, cujos resultados são percebidos a longo prazo, já que o estudante tem contato com obras literárias diversas durante todo o ensino fundamental e, ao chegar no ensino médio, o seu nível de leitura, escrita e interpretação estão muito avançados, influenciando no seu rendimento em todas as disciplinas”, afirmou o coordenador.

Mais de 850 mil livros –  Desde a criação do projeto, 850 mil livros foram distribuídos em todo o Estado para as escolas do 1º ao 9º ano do ensino fundamental, divididos em 59 títulos, cujos conteúdos estão em consonância com a Matriz Curricular de Língua Portuguesa.

Obras como “O grande rabanete”, de Tatiana Belinky; “O sanduíche da Maricota”, de Avelino Guedes; “O saci e a reciclagem do lixo”, do autor Samuel Murgel Branco; “Para querer bem”, de Manuel Bandeira; “Desventuras de um irmão mais velho”, da escritora Judy Blume; e “Em busca de um sonho”, de Walcyr Carrasco, estão entre os títulos literários utilizados no projeto.

Ainda segundo o coordenador, Lucas Oliveira, o acervo literário é bastante amplo e diversificado e facilita a capacidade de interpretação. “O projeto Rede de Letras tem 59 títulos disponibilizados aos estudantes, utilizados durante todo o ensino fundamental. Por ano, em média, são mais de seis obras a que eles terão acesso. Literatura Fantástica, Literatura Brasileira, Literatura Norte-Americana estão entre os conteúdos dos títulos e todas essas obras são inseridas no cotidiano do aluno, ampliando a sua capacidade de interpretação, uma das dificuldades apresentadas pelos estudantes”, explicou.

Comentários

Comentários

Amazonas

More in Amazonas

PDT festeja 35 anos de história nesta quinta-feira

Jornal de Humaitá26 de maio de 2017

Alessandra Campêlo e Maria do Teixeirinha unidas por Canutama

Jornal de Humaitá26 de maio de 2017

Prevenção à intolerância é tema de Mesa Redonda na Aleam

Jornal de Humaitá23 de maio de 2017

Polícia apreende 20 kg de maconha do tipo skunk no bairro Glória

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017

Alessandra Campêlo articula reunião no Comando da PM para discutir promoções

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017

Universo infantil na música erudita está em ‘Canções de Ninar’, quarto espetáculo da série Recitais Ambev

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017

Empresas com IPVA em atraso são notificadas pela Sefaz

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017

Maués cria política inovadora para aumentar produção do guaraná

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017

Policiais militares de Boa Vista do Ramos detêm integrantes de bando criminoso

Jornal de Humaitá18 de maio de 2017
%d blogueiros gostam disto: