Jornal de Humaitá

PSICOLOGIA AO SEU ALCANCE: Subjetividade Humana

PSICOLOGIA AO SEU ALCANCE: Subjetividade Humana
Geovanni

Semana passada vimos que o ser humano se relaciona com o mundo através de três formas de consciência: percepção, imaginação e reflexão. Entenda melhor lendo o artigo “Como atua a consciência?”. No texto de hoje veremos o que é subjetividade e por que é tão importante entender isso para o seu dia-a-dia.

O contrário da subjetividade é a objetividade, esta ocorre quando observamos, ou refletimos sobre algo que está no mundo numa relação direta com o objeto observado. Toda sua atenção está no objeto em questão e no contexto em que está inserido. Através disso elaboramos um saber a respeito e podemos então refletir sobre esse saber. Nesse caso o “objeto” da reflexão é um saber, quer dizer, uma outra consciência. E quando isso ocorre, denomina-se subjetividade. Mas porque é importante entender esse conceito? Porque uma vez internalizada uma experiência posso refletir sobre ela e sobre mim em relação ao que aconteceu, e ao fazer isso inicia o processo de reconhecimento de si. Esse é o processo básico de constituir os valores, quer dizer, as verdades que se elegem para guiar nossa vida. Feito o reconhecimento de si é possível a pessoa sentir-se segura para ocupar os lugares que deseja no mundo. Isto é válido para qualquer situação. Se a pessoa aprendeu a jogar determinado esporte, se vê no direito de jogar. Se aprendeu a se relacionar com as pessoas, quando se interessar por alguém, também se vê capaz de conhecer e buscar algo mais com essa pessoa. Mas se a pessoa não desenvolveu reflexões positivas a respeito de si, se vê insegura, consequentemente se exclui das possibilidades, deixando espaço para os outros que ela considera que podem fazer.

Expus algo complexo de forma simplificada e portanto superficial, mas estas situações são muito comum de acontecer. E quando a pessoa se constitui tímida, insegura, ou mesmo não sendo capaz para realizar alguma atividade ela sofre e se condena a não viver plenamente, nem se realiza no que deseja.

Boa parte dos problemas existenciais como: o medo exacerbado, pânico, ansiedade, entre outras, é originado na transição da reflexão com o ocorrido e a maneira como ela se reconhece capaz de enfrentar essa dificuldade, reconhecendo-se incapaz ou insegura. Embora a maior parte desses problemas tenha origem na infância, isto pode se formar em qualquer idade. A boa notícia é que a correção desses problemas também pode ser feita independente da idade. Embora não seja fácil, é possível transcender para um estado de segurança. Se você é inseguro, tímido, ou o medo lhe impede de construir seus projetos, procure ajuda, não deixe a vida passar e as oportunidades escorrem pelas suas mãos. Construa a sua vida com coragem, estratégia e segurança.

Psicólogo Flávio Melo Ribeiro
CRP12/00449

A Viver – Atividades em Psicologia desenvolveu programas psicoterapêuticos que possibilitam ser trabalhados em grupos e individual.
[email protected] (48) 9921-8811 (48) 3223-4386
Página no Facebook: Viver – Atividades em Psicologia

Comentários

Comentários

Jornal de Humaitá

More in Jornal de Humaitá

PDT festeja 35 anos de história nesta quinta-feira

Jornal de Humaitá26 de maio de 2017

Alessandra Campêlo e Maria do Teixeirinha unidas por Canutama

Jornal de Humaitá26 de maio de 2017

Revolta Nacional: Filho se explica após ser preso por agredir a mãe

Jornal de Humaitá26 de maio de 2017

Boatos espalhados pelo WhatsApp causam a morte de 7 pessoas

Jornal de Humaitá26 de maio de 2017

Ingressos para show de Ludmilla começam a ser vendidos pela internet

Jornal de Humaitá25 de maio de 2017

Menores apreendidos em Humaitá-AM são suspeitos de chefiar boca de fumo

Jornal de Humaitá25 de maio de 2017

PF desarticula grupo criminoso que desviou recursos das obras do Mané Garrincha

Jornal de Humaitá24 de maio de 2017

Cantor e vereador da Bahia ‘Igor Kannário’ diz que é mais autoridade que PM

Jornal de Humaitá23 de maio de 2017

José Ricardo cobra convocação dos aprovados do concurso da PM

Jornal de Humaitá23 de maio de 2017
%d blogueiros gostam disto: