O governador David Almeida anunciou, nesta-sexta-feira, 21 de julho, que o Governo do Estado retomará, a partir do próximo dia 28, o pagamento dos valores referentes à subvenção da Malva e da Juta a 350 produtores rurais de 9 municípios amazonenses. A safra de referência para pagamento é a de 2014/2015 e está estimada em 2.159 mil toneladas de fibras, o que totaliza um repasse de R$ 822,500 mil.

A medida foi anunciada nesta sexta-feira (21), durante visita que David Almeida fez à sede da Secretaria Estadual de Produção Rural (Sepror), zona sul de Manaus, ocasião em que também anunciou o novo diretor-presidente do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), Massami Miki, que será empossado ao cargo na próxima semana pelo titular da Sepror, Dedei Lobo.

Opagamento da subvenção da Malva e Juta estava suspenso há três anos pelo Governo do Estado, por falta de orçamento. Os pagamentos serão feitos por etapa, sendo a do dia 28 a primeira parcela. O governador David Almeida destacou que esse apoio representa uma valorização para os produtores e pediu prioridade da equipe técnica do Sistema Sepror para execução de pagamento.

“Foi um compromisso na primeira semana de meu governo quando assumi e disse que íamos contemplar os produtores rurais que tanto precisam para melhorar suas condições de renda. Tem produtor que usa essa verba para trabalhar de maneira mais dinâmica.”

Ao dialogar com os funcionários e gestores do Sistema Sepror, David Almeida ressaltou o compromisso do Estado em rever gastos e otimizar recurso com o intuito de trazer melhorias para o trabalho de secretarias primordiais no Estado. “Estou visitando todas as secretarias para conhecer pessoalmente os problemas e buscar soluções”.

Há mais de 10 anos, o Governo do Estado, por meio da Agência de Desenvolvimento Sustentável (ADS), subsidia os juticultores do Amazonas em R$ 0,40 centavos por quilo produzido, valor este pago uma vez ao ano. A safra de referência para pagamento inclui os municípios de Anamã, Anori, Beruri, Caapiranga, Coari, Itacoatiara, Manacapuru, Manaquiri e Parintins. Só em Manacapuru há 161 produtores que vão receber o pagamento.

“O repasse varia de acordo com os quilos produzidos pelos produtores. Temos uma media que é R$ 1.500 a R$ 3 mil reais por produtor. O IDAM avaliza as notas de comercialização com as cooperativas e através desse quantitativo é feito o cálculo de cada pagamento. Recolhimento da nota e de atender ao produtor”, explicou o secretário da ADS, Lisandro Breval.

De acordo com dados do Idam, a produção de fibras (juta e malva) da safra 2015/2016 foi de 3.963 toneladas. Já a produção da safra 2016/2017 tem uma estimativa de 5 mil toneladas.

Produção – O Amazonas é o maior produtor de fibras do Brasil, com participação de 87% da produção nacional (IBGE -PAM/2014). Os maiores produtores da fibra no Amazonas são da região da Calha do Rio Negro e Solimões, como Manacapuru, Anamã, Autazes, Careiro, Careiro da Várzea, Vila Rica de Caviana, Caapiranga, Iranduba, Manaquiri, Novo Airão, Rio Preto da Eva, Manaus, Beruri, Coari, Codajás e Anori. A produção total desses municípios anualmente varia de 20 a 200 toneladas de juta, e de Malva gira em torno de 100 a 744 toneladas. Manacapuru e Beruri se destacam com a produção média de 70 a 100 toneladas de juta.

Fotos: Willian Rezende

faça um comentários
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais em Jornal de Humaitá

Deixe uma resposta

Check Also

O Natal, crise de ansiedade e depressão

Você sabia que aumenta a incidência de casos de crise de ansiedade ou mesmo de depressão c…