Jornal de Humaitá

PEC contra prescrição do estupro é aprovada no Senado

PEC contra prescrição do estupro é aprovada no Senado
Geovanni

Especialista em Direito Penal, Leonardo Pantaleão, defende mudança constitucional
Leonardo Pantaleão

O Plenário do Senado aprovou ontem (9 de agosto), em segundo turno, a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) nº 64/2016, do senador Jorge Viana (PT-AC), que torna imprescritível o crime de estupro no Brasil. Um dos motivadores da proposta é a dificuldade da vítima em efetuar a denúncia por receio de preconceito, superexposição e sentimento de vergonha – gerando por vezes a prescrição do crime e a impunidade do infrator. Agora, o texto volta à Câmara para análise dos deputados. O especialista em Direito Penal e professor do Centro Preparatório Jurídico (CPJUR), Leonardo Pantaleão, esclarece as razões que, atualmente, levam à prescrição do crime: “Ocorrem por dois fatores: O decurso do tempo e a inércia do Estado, que perde o direito de efetivar a punição ao indivíduo se ultrapassado o prazo previsto no Código Penal. O tempo para prescrição pode variar, de acordo com a condenação”, explica. Ele esclarece ainda que existe, hoje, somente dois tipos de crimes imprescritíveis no Brasil: o racismo e a atuação de grupos armados contra o estado democrático de direito e a ordem constitucional.

Pantaleão afirma que a mudança é positiva, podendo aumentar significativamente a punição dos infratores para um crime notadamente grave, já que garante a denúncia a qualquer tempo, eliminando o prazo para vitimas comunicarem o abuso à justiça, mas demonstra preocupação com o tipo de mecanismo para se estabelecer a alteração. “Juridicamente, PEC não é um instrumento adequado para isso, pois viola uma garantia individual, prevista em lei. A mudança, para ser legitimada, deveria vir por meio de uma nova assembleia constituinte, uma nova constituição”, explica.


Sobre O CPJUR
Com foco no desenvolvimento de estudantes e profissionais de todo o Brasil que buscam capacitação e aprimoramento de conhecimentos na carreira jurídica publica ou privada, o Centro Preparatório Jurídico (CPJUR) promove cursos para o Exame da OAB, Concursos Públicos e Pós-graduação nas modalidades presencial, telepresencial e online. Com investimentos na qualidade de seu corpo docente, formado pelos principais juristas do Brasil; profissionais de atendimento com vasta e comprovada experiência no segmento; salas de aula com padrão de excelência e moderna tecnologia de transmissão, visa oferecer soluções inovadoras e adaptadas às necessidades de mercado, com a personalização e atualização constante exigida pelo ramo do Direito.

Comentários

Comentários

Click to add a comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

Jornal de Humaitá

More in Jornal de Humaitá

Indústria de autopeças dá sinais de recuperação em 2017

Jornal de Humaitá18 de agosto de 2017

PROSTITUIÇÃO E VIOLÊNCIA NA ESTRADA DE FERRO MADEIRA-MAMORÉ

Jornal de Humaitá18 de agosto de 2017

Professor de Educação Física monta um projeto de um Glossário de Libras para ajudar na atividade escolar

Jornal de Humaitá18 de agosto de 2017

Confira 6 filmes em que o amadurecimento vai te inspirar

Jornal de Humaitá18 de agosto de 2017

Como pagar serviços turísticos no exterior de um jeito simples

Jornal de Humaitá18 de agosto de 2017

Novo Centro Cirúrgico realiza procedimentos e fila de espera começa a diminuir

Jornal de Humaitá18 de agosto de 2017

Luiz Castro quer análise de contratos de cirurgias do Hospital Delphina Aziz

Jornal de Humaitá17 de agosto de 2017

Escola Estadual Prof.ª Adelaide Tavares de Macedo inaugura Web rádio na escola e disponibilidade para sistema Android

Jornal de Humaitá17 de agosto de 2017

Governador David Almeida entrega ala cirúrgica de Hospital e Pronto Socorro da Zona Norte

Jornal de Humaitá17 de agosto de 2017