Jornal de Humaitá

PEC contra prescrição do estupro é aprovada no Senado

PEC contra prescrição do estupro é aprovada no Senado

Especialista em Direito Penal, Leonardo Pantaleão, defende mudança constitucional
Leonardo Pantaleão

O Plenário do Senado aprovou ontem (9 de agosto), em segundo turno, a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) nº 64/2016, do senador Jorge Viana (PT-AC), que torna imprescritível o crime de estupro no Brasil. Um dos motivadores da proposta é a dificuldade da vítima em efetuar a denúncia por receio de preconceito, superexposição e sentimento de vergonha – gerando por vezes a prescrição do crime e a impunidade do infrator. Agora, o texto volta à Câmara para análise dos deputados. O especialista em Direito Penal e professor do Centro Preparatório Jurídico (CPJUR), Leonardo Pantaleão, esclarece as razões que, atualmente, levam à prescrição do crime: “Ocorrem por dois fatores: O decurso do tempo e a inércia do Estado, que perde o direito de efetivar a punição ao indivíduo se ultrapassado o prazo previsto no Código Penal. O tempo para prescrição pode variar, de acordo com a condenação”, explica. Ele esclarece ainda que existe, hoje, somente dois tipos de crimes imprescritíveis no Brasil: o racismo e a atuação de grupos armados contra o estado democrático de direito e a ordem constitucional.

Pantaleão afirma que a mudança é positiva, podendo aumentar significativamente a punição dos infratores para um crime notadamente grave, já que garante a denúncia a qualquer tempo, eliminando o prazo para vitimas comunicarem o abuso à justiça, mas demonstra preocupação com o tipo de mecanismo para se estabelecer a alteração. “Juridicamente, PEC não é um instrumento adequado para isso, pois viola uma garantia individual, prevista em lei. A mudança, para ser legitimada, deveria vir por meio de uma nova assembleia constituinte, uma nova constituição”, explica.


Sobre O CPJUR
Com foco no desenvolvimento de estudantes e profissionais de todo o Brasil que buscam capacitação e aprimoramento de conhecimentos na carreira jurídica publica ou privada, o Centro Preparatório Jurídico (CPJUR) promove cursos para o Exame da OAB, Concursos Públicos e Pós-graduação nas modalidades presencial, telepresencial e online. Com investimentos na qualidade de seu corpo docente, formado pelos principais juristas do Brasil; profissionais de atendimento com vasta e comprovada experiência no segmento; salas de aula com padrão de excelência e moderna tecnologia de transmissão, visa oferecer soluções inovadoras e adaptadas às necessidades de mercado, com a personalização e atualização constante exigida pelo ramo do Direito.

Comentários

Comentários

Click to add a comment

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Jornal de Humaitá

More in Jornal de Humaitá

​Editora Leya Realiza evento em Manaus para debater Universos Literários

Jornal de Humaitá17 de outubro de 2017

Urgente: Professora é brutalmente assassinada em Humaitá-AM

Jornal de Humaitá16 de outubro de 2017

“Vou dar o golpe da barriga”, diz Adriane Galisteu em entrevista

Jornal de Humaitá14 de outubro de 2017

Cuidar do sono é a melhor saída para se acostumar com o horário de verão

Jornal de Humaitá14 de outubro de 2017

Universidade do Terceiro Setor

Jornal de Humaitá14 de outubro de 2017

Alerta: cuidados com os spinners movidos a bateria de lítio no Dia das Crianças

Jornal de Humaitá14 de outubro de 2017

Nova Aripuanã: Vereador é feito refém com a família e filho é ferido durante crime

Jornal de Humaitá14 de outubro de 2017

Religião: Emoção e fé no encerramento da festa de nossa Senhora Aparecida em Humaitá-AM

Jornal de Humaitá13 de outubro de 2017

HERIVANEO SEIXAS REALIZA ENTREGA DE CADEIRAS DE RODAS EM HUMAITÁ

Jornal de Humaitá13 de outubro de 2017