COMUNICAR ERRO

Palavras escritas de maneira inadequada não são causa apenas de desconhecimento da ortografia. Outros fatores levam ao equívoco, como a pressa e a desatenção. Basta um pequeno descompasso e os dedos podem digitar “CEHAGNDO” em vez de “CHEGANDO”; “PERCURSOR” em vez de “PRECURSOR; “GATOS” em vez de “GASTOS” e “OUTURBO” no lugar do mês “OUTUBRO”.

A proximidade de certas teclas combinada com a pressa e a não revisão do que se escreveu pode nos fazer trocar “SEUS” por “SEIS” (a permutação dessas duas vogais, “u” e “i”, é bastante comum e bastante desastrosa) e acrescentar consoantes onde não há (“SENTADORES” em vez de “SENADORES”), por exemplo.

Na digitação, todo mundo está sujeito a esses erros, mas apenas a revisão pode impedir que eles sejam publicados. Corretores automáticos, como o do Word, ajudam a evitá-los. Mas como muitas das palavras formadas podem existir e terem significados muito distintos daquela que se pretendia escrever e como os corretores automáticos não possuem subjetividade – e por isso não sugerirão uma mudança de palavra – apenas a revisão pode salvar sua mensagem.

Por isso, nunca publique nada sem, no mínimo, passar por uma revisão atenta (do próprio autor, de um segundo leitor ou até mesmo de um revisor profissional).