Manaus. A Comissão Geral de Licitação (CGL) concluiu, no último dia 23, o processo licitatório de construção das defensas da Ponte sobre o Rio Negro. A vencedora foi a empresa Erin Estaleiros Rio Negro Ltda. que apresentou proposta de cerca de R$ 89,2 milhões. A expectativa do titular da Secretaria da Região Metropolitana de Manaus (SRMM), René Levy Aguiar, é homologar o resultado tão logo haja a liberação orçamentária pela Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz).

“Temos reunião marcada no final desta semana com o secretário Ísper (Abrahim) para acelerar esse processo, homologando o resultado da licitação e contratar a empresa para emitirmos a ordem de serviço”, adianta Aguiar. Além da liberação dos recursos, a SRMM aguarda a apresentação da documentação da empresa vencedora do certame para

O projeto do sistema de proteção da ponte prevê a implantação de 14 balsas metálicas com formatos específicos capazes de suportar eventuais impactos. Para isso, as estruturas, serão posicionadas estrategicamente a frente dos pilares por onde passarão as embarcações. A meta, informa Aguiar, é iniciar o trabalho pelos vãos (canais) centrais da ponte de maneira a adiantar a entrega do empreendimento à população.

Atualmente, as obras da ponte que interligará Manaus ao município Iranduba estão em fase de conclusão. Estão sendo concluídos os três últimos vãos do tabuleiro (pista) da margem direita (Iranduba). No trecho central resta o içamento de duas aduelas – blocos de concreto que formam o tabuleiro – em cada lado. Os ajustes finais também compreendem o asfaltamento das estradas de acesso à ponte em ambas as margens.
Custos poderão ser reduzidos.

Por determinação do governador Omar Aziz, o sistema de proteção dos pilares da Ponte sobre o Rio Negro poderá ser adaptado com o objetivo de economizar até R$ 30 milhões no valor total do projeto. De acordo com o secretário da SRMM, o Governo do Estado já consultou as autoridades marítimas competentes, como a Capitania dos Portos da Amazônia Ocidental, e aguarda aprovação.

“A ideia é diminuir duas das 14 balsas metálicas planejadas para construção nos pilares centrais, sem que apresente riscos de colisão na ponte”, explica Aguiar. “Essa mudança não compromete a segurança da estrutura ou da navegação e poderá, ainda, ser ampliada no futuro por conta de qualquer necessidade verificada pela Marinha do Brasil, utilizando-se a estrutura atual”.

Caso a viabilidade dessa alternativa seja aprovada pelos órgãos marítimos, complementa o secretário, o sistema de proteção dos pilares da Ponte sobre o Rio Negro terá capacidade de resistir a um impacto de até 20 mil toneladas, o que corresponde a 95% das embarcações que atualmente passam naquele trecho do rio. “Estamos aguardando uma manifestação oficial das entidades e há uma expectativa muito favorável no sentido de termos esse pleito atendido”, afirma.

René Levy Aguiar informa, ainda, que o processo de licitação do sistema de iluminação da ponte Manaus-Iranduba será aberto nesta quinta-feira, dia 03. O projeto está estimado em aproximadamente R$ 14 milhões e, segundo ele, também terá possibilidade de ter o custeio reduzido. Os trabalhos deverão ter duração de três a quatro meses, começando a partir do tabuleiro da ponte.

O conteúdo do site tem expressa autorização de publicação desde que informe a fonte.

Jornal de Humaitá – O portal de notícias do Amazonas
faça um comentários
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais em Amazonas
Comments are closed.

Leia mais

Festival paraense volta a Manaus na Arena da Amazônia

No início de março Manaus volta a ser palco do sucesso festival paraense que arrecadará o …