Milhares de pessoas estão isoladas. Há risco de falta de energia elétrica
Maior ponte da América Latina está submersa
Colniza-MT.O município de Colniza, no extremo Norte de Mato Grosso, poderá ficar completamente isolado das demais regiões do Estado e do País, com a queda de uma de suas principais pontes, sobre o rio Aripuanã, na rodovia MT-206, que liga a cidade ao distrito de Guariba e aos estados de Rondônia e Amazonas, via distrito de Três Fronteiras. Parte dela já foi arrastada pela força das águas nesta terça-feira, dia 1. A ponte é considera a maior edificação em madeira da América Latina, com 274 metros e foi construída com recursos do Fundo Estadual de Transportes e Habitação (Fethab)..


Na MT-418, no trecho entre Aripuanã e Colniza, a situação é também preocupante, com a informação que circulou no final da manhã desta quarta-feira, de transbordamento do Rio Canamã, que fez balançar a estrutura de madeira, com risco de também ser levada pelas águas. Um técnico da Secretaria de Meio Ambiente se deslocou para a ponte do Canamã para verificar a situação no início da tarde desta quarta-feira.

Com o transbordamento, fiscais da Secretaria Municipal de Meio Ambiente estiveram no Rio Aripuanã, nas imediações da ponte sobre a rodovia, para verificar a situação e constataram que havia risco iminente de rompimento da ponte.

A queda da ponte – considerada um dos cartões postais do Município – interrompeu completamente o tráfego naquele trecho da rodovia, isolando as comunidades de Guariba, Roosevelt e Três Fronteiras da sede do Município.

Pelo outro acesso a Colniza, na MT-206, no trecho que liga a cidade a Cotriguaçu, via Nova União, a situação é ainda mais preocupante, com a destruição de uma ponte a 5 quilômetros daquele distrito. O desvio, que também era utilizado como rota alternativa para ligar Colniza a outras cidades do Estado por Cotriguaçu, também está intransitável em razão vários trechos com atoleiros e quedas de pontes menores.

Na semana passada, prevendo o isolamento da cidade de Colniza em razão do estado das estradas, conforme havia anunciado no decreto de situação de emergência no Município, a prefeita Nelci Capitani voltou a demonstrar sua preocupação junto às autoridades, encaminhando ofícios ao governador de Mato Grosso Silval Barbosa e ao presidente da Assembleia Legislativa do Estado, deputado José Riva, solicitando apoio para evitar o desabastecimento de gêneros e produtos essenciais à população.

O distrito de Guariba poderá ter sua situação agravada pela falta de energia elétrica, uma vez que esse serviço é mantido por meio de motor movido a óleo diesel. “Esperamos que o pior não aconteça e que a comunidade também se uma para evitar um desabastecimento, procurando não entrar em pânico, nem correr para fazer compras. Também pedimos o apoio de empresas que tenham diesel no Guariba para que colabore em manter a energia elétrica para a população” – afirma Nelci.

Elvio Lopes
em colaboração para o jornaldeHumaita.com

O conteúdo do site tem expressa autorização de publicação desde que informe a fonte.

Jornal de Humaitá – O portal de notícias do Amazonas
faça um comentários
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais em Jornal de Humaitá
Comments are closed.

Leia mais

Saiba como prevenir seus eletroeletrônicos dos danos causados pelas fortes chuvas

São Paulo, novembro de 2017 – Basta o Verão se aproximar para voltar a preocupação c…