Manaus. Medida Provisória que zera a alíquota de PIS e Cofins para a produção de tablets anunciada pelo Governo Federal para o final desta semana deve desestimular a produção desse produto no Polo Industrial de Manaus (PIM), segundo avaliação do secretário de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico, Marcelo Lima Filho. “Não é um cenário favorável em termos de competitividade”, reconheceu.


A nova MP reduzirá de 9,25% para zero a incidência de PIS e Cofins na fabricação de tablets, segundo o secretário de Telecomunicações do Ministério das Comunicações, Nelson Fujimoto. Como esse era o diferencial tributário em favor das indústrias instaladas no Estado, pode acontecer, segundo o secretário, um freio à expansão do setor. “Há que se considerar a possibilidade de deslocamento de novos empreendimentos para outros mercados produtores”, disse Lima Filho.

São Paulo e Paraná, segundo destacou o secretário, têm políticas agressivas de atração de investimentos na área de informática e contam com a vantagem de estar próximos do grande eixo de consumo do país, sem maiores problemas de logísticas. Atualmente, existem 27 empresas de informática instaladas no Estado, pouco mais de 5% do parque nacional de empresas do setor, de acordo com estudos da empresa de consultoria Controle.
Na reunião do Conselho de Desenvolvimento do Estado do Amazonas (Codam) realizada no último dia 4, foram aprovados os projetos da Digibras e da Greenworld, um total de investimentos que soma R$ 37 milhões e com a geração de 71 vagas no mercado de trabalho para a fabricação de tablets.

Fonte: Assessoria

O conteúdo do site tem expressa autorização de publicação desde que informe a fonte.

Jornal de Humaitá – O portal de notícias do Amazonas
Load More Related Articles
Load More In Amazonas
Comments are closed.

Check Also

Filho ilustre de Humaitá é preso na 2º fase da operação Maus Caminhos

Manaus.  Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (13) a segunda fase da Operação Maus…