Apuí – O início do segundo semestre marca o início de uma promissora parceria no município de Apuí, a 455 quilômetros de Manaus. A filial brasileira da empresa suíça Firmenich, que produz fragrâncias e aromas, realiza a primeira compra de copaíba produzida no interior do município por meio de manejo florestal sustentável. O acordo, fechado com a Associação Agroextrativista Aripuanã-Guariba, foi negociado no primeiro semestre de 2011 e contou com a mediação do WWF-Brasil.


Segundo a proposta apresentada pela empresa, o quilo da copaíba será comercializado por cifras que superam em mais de 100% o valor anterior pago por atravessadores. Além disso, a transação será feita em dinheiro e não mais por escambo ou troca, como era feita anteriormente. A Firmenich vai disponibilizar ainda R$ 10 mil para um fundo, a ser administrado pela própria empresa, cuja renda servirá como capital de giro e fonte para capacitações ou compra de equipamentos. Cerca de 20 “copaibeiros” já aderiram à proposta. As primeiras transações serão feitas no mês de agosto.

A primeira encomenda, já solicitada pela empresa, é de 5 toneladas de copaíba até o fim de 2011. Os contemplados neste primeiro momento são produtores da Vila do Carmo, Vila Batista, Areal e Bela Vista do Guariba. A produção será armazenada na Vila do Carmo, também conhecida como Matá-Matá, devido à facilidade de escoamento do produto a partir dali. A vila ocupa posição central no curso do rio Aripuanã, possui mais estrutura e opções de logística, e serve como pólo para outras comunidades da área. Além disso, Matá-Matá está na beira da BR-230, a Rodovia Transamazônica, facilitando a saída do produto para outras regiões. Por meio da estrada, o óleo de copaíba irá até Porto Velho (RO) e depois para São Paulo.

Com esta parceria, os extrativistas venderão a copaíba diretamente à empresa, sem a necessidade de intermediários. Além disso, eles também farão transações a um preço justo – em anos anteriores, o quilo da copaíba era vendido a até R$ 7 para atravessadores. A venda direta e melhores preços vão garantir a geração de renda aos produtores envolvidos no processo e a valorização dos produtos florestais. A Firmenich, por sua vez, receberá a matéria-prima de fontes manejadas de forma adequada, garantindo a perenidade do recurso e contribuindo com a conservação das florestas amazônicas.

O coordenador do Programa Amazônia do WWF-Brasil, Mauro Armelim, considera a iniciativa da empresa muito importante. “É um passo decisivo da iniciativa privada em relação a questões sociais e ambientais, uma vez que a própria empresa começa um movimento de dentro para fora, ou seja, cria uma relação com as comunidades e promove a valorização e conservação dos produtos da floresta. Desse modo, serão geradas mais opções de renda para os extrativistas e será permitido um melhor aproveitamento dos recursos e potencialidades da região”, afirmou.

Gerente regional para ingredientes naturais da Firmenich Brasil, André Tabanez, contou que o trabalho em Apuí faz parte de um projeto maior: em 29 de julho, num evento empresarial em São Paulo (SP), será anunciada a compra de produtos florestais de outras duas comunidades amazônicas. “Esta é a forma de promover a justiça social e contemplar as questões ambientais em nossa área de produção. Queremos ver essas parcerias construídas em bases fortes e sólidas, andando sozinhas nos próximos anos”, contou Tabanez.

O contrato de venda de copaíba com a Firmenich faz parte de um conjunto de ações intitulado Medida de Desenvolvimento: Produção Florestal e Agroflorestal do município de Apuí. A estratégia, composta de uma série de atividades com foco no manejo florestal, reflorestamento, extrativismo e sistemas agroflorestais, tem como objetivo gerar emprego e renda de forma sustentável no Sul do Amazonas. Cerca de 10 instituições, entre entidades governamentais, órgãos da sociedade civil, associações e cooperativas de produtores – e, entre elas, o WWF-Brasil – estão envolvidas neste trabalho.

C atividade humana com a conservação da biodiversidade e de promover o uso racional dos recursos naturais em benefício dos cidadãos de hoje e das futuras gerações. O WWF-Brasil, criado em 1996 e sediado em Brasília, desenvolve projetos em todo o país e integra a Rede WWF, a maior rede independente de conservação da natureza, com atuação em mais de 100 países e o apoio de cerca de 5 milhões de pessoas, incluindo associados e voluntários. [www.wwf.org.br] |.MaxPR

Material publicada pela revista Fator

O conteúdo do site tem expressa autorização de publicação desde que informe a fonte.

Jornal de Humaitá – O portal de notícias do Amazonas
faça um comentários
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais em Amazonas
Comments are closed.

Leia mais

Brasil conquista pela primeira vez prêmio no Forbes Travel Guide

Belmond Hotel das Cataratas, localizado Parque Nacional do Iguaçu é o primeiro da América …