Manaus – Acadêmicos de doutorado da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e da Universidade de Brasília (UnB) elaboram, em encontro realizado em Manaus até esta quinta-feira, 21 de julho, três cenários para impulsionar o ecoturismo no Amazonas nos próximos dez anos. As propostas serão apresentadas aos órgãos e empresas que atuam no setor. O evento acontece no auditório da Reitoria da UEA, das 8h às 17h, na avenida Djalma Batista, 3578, Flores.

As discussões fazem parte de um seminário organizado por doutorandos do curso “Estratégias de Desenvolvimento do Amazonas” da UEA, UnB e Universidade Federal do Amazonas (Ufam). O ecoturismo, ou turismo ecológico, é uma vertente da atividade turística voltada ao uso sustentável de recursos naturais e patrimônios culturais, além de promover a conservação.
Além de estudiosos e acadêmicos, o evento reúne profissionais da área, informou a coordenadora do evento e professora da UEA, Edinelza Ribeiro. Segundo ela, que também é doutoranda pela UnB, o Amazonas possui 14 polos ecoturísticos, o que favorece expectativas positivas. “Estamos delineando cenas de como o empreendedor poderá investir no mercado de turismo. Ou seja, como ele poderá ter segurança e pensar em estratégias”, explicou, referindo-se à meta de fazer o ecoturismo amazonense despontar em nível internacional.
Para chegar a esse diagnóstico, o seminário leva em consideração as características (densidade populacional, infraestrutura, fluxo turístico, PIB per capita etc.) dos 14 polos, com base em dados fornecidos pela Empresa Estadual de Turismo (AmazonasTur) e demais entidades. Entre os principais polos estão os municípios amazonense de Presidente Figueiredo, Barcelos e São Gabriel da Cachoeira.
“De acordo com a pesquisa da AmazonasTur, a demanda turística no Estado é a busca pelo turismo de lazer. Então, se nós conseguirmos alinhar um planejamento e ‘cenarizar’ a projeção de ideias para concretizar a economia e o ecoturismo como vocação econômica para o Estado, vai ser um passo muito significativo”, avaliou a professora da UEA.
Geração de renda – Na avaliação do professor do Centro de Desenvolvimento Sustentável (CDS) da UnB, Elimar Pinheiro, o turismo ecológico tem “grandes chances” de se tornar referência mundial e, principalmente, uma grande fonte de emprego e renda para a população do interior do Estado.
“O Amazonas é uma das marcas mais conhecidas do mundo. Tem população ribeirinha, indígenas, paisagens extraordinárias. Tem uma enorme potencialidade para desenvolver o ecoturismo e, evidentemente, ganhar dinheiro com isso. O ecoturismo é um objeto de demanda crescente em todo o mundo”.
O conteúdo do site tem expressa autorização de publicação desde que informe a fonte.
Jornal de Humaitá – O portal de notícias do Amazonas
faça um comentários
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais em Amazonas
Comments are closed.

Leia mais

JAMBUBIER, CERVEJA AMAZÔNICA, PARTICIPA DE FEIRA NACIONAL

Festival Brasileiro da Cerveja em Blumenal – Santa Catarina é palco para apresentação da c…