Como resultado do programa, a Amazonastur destaca, ainda, a participação dos artesãos em feiras internacionais na Itália e em Portugal e a venda de quatro mil peças do artesanato local nas lojas do grupo espanhol El Corte Inglês.

Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur) está desenvolvendo um website para ampliar a venda do artesanato produzido no Estado. A iniciativa faz parte do Programa Artesanato Sustentável do Amazonas, que atende atualmente cerca de 200 artesãos. Uma mostra da produção destes artistas está em exposição no Manauara Shopping até o próximo sábado, 3 de setembro.

O espaço de vendas pela internet, que vai funcionar em três idiomas, deve entrar no ar no ano que vem e, segundo a presidente da Amazonastur, Oreni Braga, os artesãos que participam do Programa Artesanato Sustentável passarão por qualificação para administrar o novo negócio. Para a capacitação, a Amazonastur terá a parceria do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-AM), com a oferta de cursos nas áreas de empreendedorismo, gestão de negócios e cooperativismo.
“Com o website, os artesãos terão relacionamentos em todas as redes sociais, com o mercado nacional e internacional das feiras de artesanato. O negócio será administrado pelas cooperativas e associações, com acompanhamento da Amazonastur e do Sebrae. O artesãos vão poder vender pela internet, sem a intermediação de terceiros. Será mais uma maneira de agregar valor aos produtos, gerando renda e emprego para mais pessoas nas comunidades”, enfatizou Oreni Braga.
O Programa Artesanato Sustentável do Amazonas existe há dois anos e já beneficiou 200 artesãos dos municípios de São Gabriel da Cachoeira, Tefé, Iranduba, Novo Airão, Barreirinha, Parintins e Manaus com cursos de aperfeiçoamento e viabilizando ações estratégicas de suporte, comunicação e comercialização dos produtos, agregando valor as peças na hora da venda.
Exposição – Parte da produção dos artesãos apoiados pelo governo está exposta no Manauara Shopping, na primeira exposição do Programa Artesanato Sustentável do Amazonas. As peças estão disponíveis para a venda e trazem novas técnicas, como a de tingimento natural, que substitui as cores industriais por cores naturais extraídas de frutos, como açaí, banana e jenipapo.
As peças foram produzidas com fibras e sementes amazônicas e o trabalho foi desenvolvido pelos primeiros artesãos que participaram do programa em sete municípios do interior. Alguns exemplares das peças em exposição são modelos que já percorreram feiras de artesanato em São Paulo, Rio de Janeiro, Firenze (na Itália) e Lisboa (Portugal).
Artesã do município de Barreirinha, Ozita Amazonas, disse que antes de participar do programa só conseguia vender suas peças no próprio município e em Manaus, o que era feito com o auxílio de um intermediário. “Nós vendíamos um cordão, por exemplo, a dez reais. Depois que comecei a participar do programa, vendo esse mesmo produto por sessenta reais. Acho que melhorou porque a gente aperfeiçoou as técnicas, aprendeu a valorizar o que nós produzimos e passamos a vender a gente mesmo”, disse.
Como resultado do programa, a Amazonastur destaca, ainda, a participação dos artesãos em feiras internacionais na Itália e em Portugal e a venda de quatro mil peças do artesanato local nas lojas do grupo espanhol El Corte Inglês.
Para o ano que vem, a Empresa Estadual de Turismo fechou dois novos acordos que devem aumentar a visibilidade das peças artesanais amazonenses no mercado europeu. Um deles foi firmado com o grupo El Corte Inglês e prevê a criação de uma linha sustentável de moda praia com modelos inspirados no artesanato amazonense para a venda durante o verão europeu de 2012. Com a TAP – Companhia Aérea Portuguesa, a Amazonastur firmou um convênio para a criação de uma linha de acessórios, produzida com fio de Tucum ou Arumã, para distribuição nas classes Executivas e Primeira Classe.
Capacitação – O Programa Artesanato Sustentável do Amazonas realizou capacitações de artesãos em Manaus, Iranduba, Novo Airão, Parintins, Barreirinha, São Gabriel e Tefé, considerados os destinos indutores do turismo no Estado. Nas oficinas, os artesãos tiveram aulas de sensibilização para o turismo, design (novos produtos e novas técnicas), associativismo e cooperativismo, comercialização e educação ambiental (manejo participativo).
Outro trabalho fundamental do projeto foi a criação da marca Amazonas nas peças criadas pelos artesãos. Esse recurso possibilita que a procedência do produto seja reconhecida em qualquer lugar do mundo.
Além da marca, o programa vem sendo apresentado nas principais feiras do setor, o que possibilita aos artesãos negociarem diretamente com o público final, eliminando qualquer participação de atravessadores. Em toda viagem, dois artistas levam as criações e o portfólio do programa.

O conteúdo do site tem expressa autorização de publicação desde que informe a fonte.

Jornal de Humaitá – O portal de notícias do Amazonas
faça um comentários
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais em Amazonas

Deixe uma resposta

Check Also

CFP vai recorrer da sentença sobre Resolução 01/99

Para o Sistema Conselhos de Psicologia, decisão continua a produzir equívocos Decisão equi…