Crime de pistolagem envolvendo gestores municipais têm em comum o fato de as tentativas terem ocorrido em Manaus

Manaus – Arnaldo Mitouso (PMN) foi o terceiro prefeito de município do interior do Amazonas vítima de crime de pistolagem em Manaus nos últimos dez anos. Em 2002, o prefeito de Novo Aripuanã, Adiel Santana, foi assassinado a tiros na Praça de Alimentação do conjunto Dom Pedro, Zona Centro-Oeste. Sete anos depois, Manoel Galdino de Oliveira (DEM), prefeito de Manicoré, recebeu quatro disparos de arma de fogo no centro da cidade, que o deixou paraplégico.

O atentado contra o prefeito de Coari, Arnaldo Mitouso, ocorreu na noite da última sexta-feira na Avenida Torquato Tapajós, Zona Norte de Manaus. Ele foi alvejado com um tiro no pescoço que não atingiu nenhuma veia nem a coluna cervical. A picape Hylux em que ele estava, e que era conduzida pelo segurança Celidônio da Silva, recebeu nove disparos de pistola 9 milímetros, arma de uso exclusivo das Forças Armadas.
Na manhã do último sábado, após exame de corpo delito no Instituto Médico Legal (IML), Mitouso disse que não tinha suspeitos e que não havia vínculo do crime com a disputa eleitoral do próximo ano. No domingo, afirmou que o atentado teve motivação política.
O principal adversário político de Mitouso é o ex-prefeito Adail Pinheiro. O sucessor dele, Rodrigo Alves, teve o mandato cassado em 2009, dando espaço para a eleição suplementar que levou Mitouso para a Prefeitura. O prefeito é um dos acusados pela morte, em 1995, do ex-prefeito de Coari Odair Geraldo. O processo aguarda julgamento no Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM).
Outras vítimas
No dia 20 de janeiro de 2009, Manoel Galdino, à época ex-prefeito de Manicoré, foi vítima de tentativa de homicídio próximo ao colégio Patronato Santa Terezinha, na rua Duque de Caxias, Centro de Manaus, praticada por dois pistoleiros. Perdeu um rim e ficou paraplégico. Segundo colocado nas eleições de 2008, Galdino assumiu a Prefeitura porque o prefeito Emerson Pedraça teve o registro cassado em março de 2009.
O então prefeito de Novo Aripuanã, Adiel Santana, foi assassinato com tiros de escopeta na noite do dia 28 de agosto de 2002 quando chegava em seu carro na Praça de Aalimentação do conjunto Dom Pedro.
Um dos acusados pelo crime é Hilton Laborda Pinto, que era vice-prefeito. Laborda foi eleito em 2008. Mas teve o mandato cassado em 2010. O processo pela morte de Adiel ainda não foi julgado.
O conteúdo do site tem expressa autorização de publicação desde que informe a fonte.
Jornal de Humaitá – O portal de notícias do Amazonas
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais em Amazonas
Comentários estão fechados.

Verifique também

Campeonato Beneficente de jiu-jitsu reúne atletas de Humaitá e Porto Velho

Amantes da arte marcial suave prestigiaram o evento no Crás Humaitá – Neste Domingo (17), …