Por meio de recursos do Fundo Nacional do Meio Ambiente, o Censipam vai trabalhar com potencialidades econômicas de cada município

Manaus – O Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam) receberá R$ 2,3 milhões do Fundo Nacional do Meio Ambiente (FNMA).
Os recursos darão início à segunda etapa do Programa de Fortalecimento da Gestão Ambiental dos 43 municípios da área conhecida como “arco do desmatamento”, que compreende áreas dos Estados do Pará, Rondônia, Mato Grosso e Amazonas. No Amazonas, o único município contemplado será Lábrea.

Os 14 técnicos contratados pelo Censipam ajudarão essas cidades na elaboração de projetos para o desenvolvimento econômico local sustentável.
“É necessário trabalhar com as potencialidades econômicas já mapeadas dos 43 municípios. Por exemplo, há várias cidades com vocação para a exploração mineral”, ressalta o diretor de Produtos do Censipam, Fernando Campagnoli.
Segundo Campagnoli, profissionais do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) darão subsídios para os projetos de exploração mineral.
A assistência técnica aos municípios está prevista para iniciar no mês de outubro e ainda está programado um curso de 40 horas em geotecnologias, voltado para o ordenamento territorial do município.
Em março deste ano, o Censipam iniciou cursos de capacitação nos 43 municípios, também em parceria com o FNMA, vinculado ao Ministério do Meio Ambiente.
O treinamento teve o objetivo de fortalecer institucionalmente a gestão ambiental, expandir práticas sustentáveis e contribuir para a mudança do perfil das economias na região.
Os cursos foram divididos em cinco módulos: valor da floresta em pé, planejamento territorial voltado ao cumprimento do marco legal, construção dos instrumentos institucionais para a gestão ambiental do território, descentralização da gestão ambiental e oficina de projetos voltados aos planos municipais de combate ao desmatamento).
A parceria com o FNMA é uma das ações da Operação Arco Verde, iniciada pelo Governo Federal, desde 2009, para planejar e desenvolver políticas públicas e ações econômicas de forma integrada, fazendo a ocupação racional do território, o uso sustentável dos recursos naturais desses 43 municípios e reduzindo o desmatamento.
Fonte: Acritca.uol.com.br

O conteúdo do site tem expressa autorização de publicação desde que informe a fonte.

Jornal de Humaitá – O portal de notícias do Amazonas
Carregar mais artigos relacionado
Carregar mais em Amazonas
Comentários estão fechados.

Verifique também

Crescimento do PIB confirma acerto das reformas

A revisão da estimativa oficial de crescimento do PIB brasileiro, para 1,1% em 2017 e 3% e…