Manaus – O Plano Estratégico de Segurança Nacional, lançado em junho pelo Governo Federal com o objetivo de aumentar a proteção nas fronteiras, vai contemplar no Amazonas 21 municípios limítrofes com outros países e nove que são vizinhos a outros estados, totalizando 30 cidades amazonenses. O projeto do Governo do Estado, ainda em avaliação pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), prevê investimentos da ordem de R$ 45 milhões no fortalecimento das bases policiais já existentes, instalação de Delegacias Integradas e o reforço do efetivo policial.

A informação foi dada pelo secretário estadual de Segurança Pública, Zulmar Pimentel, durante o 1º Seminário Internacional de Segurança na Amazônia (Sisam), nesta sexta-feira (19), evento realizado pela Associação dos Delegados de Polícia do Amazonas (Adepol-AM), com apoio do Governo do Estado. De acordo com Zulmar, o aumento da proteção policial nas fronteiras, com ação integrada das polícias Civil, Militar e Federal, vai reforçar a estratégia de segurança do Estado contra o tráfico de drogas, a partir da atuação na desarticulação dos pontos de entrada de entorpecentes pelas regiões de fronteira, principalmente com a Colômbia. Parte do projeto já recebeu aval positivo por parte da Senasp, mas ainda não há data para a liberação de recursos, afirmou o secretário.
O reforço de segurança nos municípios fronteiriços será feito com base na Estratégia Nacional de Segurança Pública nas Fronteiras (Enafron), um conjunto de ações do Governo Federal criado a partir do projeto piloto do Policiamento Especializado de Fronteiras (Pefron). Visa coibir a criminalidade nas áreas fronteiriças de 11 Estados de norte a sul do país, bem como garantir a presença permanente das instituições de segurança das três esferas.
Em junho, o processo de revitalização das 11 bases para o Enafron iniciou com o repasse de armamentos e equipamentos pela União. A primeira remessa compreendeu kits com pistolas do tipo Taser, recarregadores, pilhas recarregáveis, cartuchos, coldres para pistolas, porta-cartucho e capacetes balísticos.
A segurança nas áreas de fronteira foi um dos temas discutidos durante o Sisam, que vai resultar na Carta de Manaus, um documento com propostas para o enfrentamento das demandas da área de segurança pública que será enviado ao Ministério da Justiça. Após as discussões, também será assinado o termo de criação do Centro de Estudos de Segurança da Amazônia (Cesam), que terá como missão pesquisar e criar estratégias de segurança pública para a região.
O conteúdo do site tem expressa autorização de publicação desde que informe a fonte.
Jornal de Humaitá – O portal de notícias do Amazonas
faça um comentários
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais em Amazonas
Comments are closed.

Check Also

O Natal, crise de ansiedade e depressão

Você sabia que aumenta a incidência de casos de crise de ansiedade ou mesmo de depressão c…