Em apuí além das tradicionais atrações, exposição no feriado mostrou força econômica do setor no Sul do Estado.

Exposição Agropecuária em Apuí ( Foto divulgação)


APUÍ (AM) – Mais de 45 mil turistas e empresários passaram pelo Centro de Eventos do município de Apuí durante os quatro dias da 24ª Exposição Agropecuária que encerrou na noite de ontem após extensa programação cultural e R$ 5 milhões em negócios realizados, consolidando-se como o segundo maior evento do setor primário no Amazonas. Muito mais do que uma “festa do interior”, a feira celebrou os excelentes indicadores do município no agrobusiness: o segundo maior rebanho bovino do Estado (170 mil animais), R$ 2,5 milhões/mês arrecadados com a venda de gado de corte para Manaus e a exportação de leite, queijo e outros produtos derivados para a capital, uma nova tendência que já rende R$ 200 mil/mês para os cofres públicos.

De acordo com o prefeito Antônio Marcos Maciel, a consolidação da criação de gado se deu com uma combinação dos fatores climáticos ocasionados pela grande seca de 2009, que tirou Parintins da vice-liderança no rebanho (Boca do Acre é o atual líder) e os investimentos realizados pela prefeitura local em tecnologia, máquinas e aparelhamento de cooperativas para o beneficiamento do produto in natura, que somente este ano somam R$ 800 mil.
Maciel também credita o sucesso econômico, que já responde por quase mil empregos diretos para uma população total estimada em 19 mil pessoas, aos incentivos dados pela prefeitura para a substituição gradual dos rebanhos de corte pelos leiteiros.
Segundo estimativas dos técnicos e criadores locais, para obter uma renda de R$ 3 mil/mês, o produtor deve dispor de uma área de 50 hectares para cultivar as vacas leiteiras. Para ter uma renda semelhante, mas apenas criando animais destinados ao abate, o produtor deve dispor de uma área quatro vezes maior (200 hectares).
“Isso significa que ao contrário do que muitos acreditam, é possível criar gado na região de forma rentável e, ao mesmo tempo, respeitando o meio ambiente de forma sustentável e preservando a fauna e flora nativa”, afirmou Maciel, destacando que apenas 3% do território de Apuí não estão preservados.
O prefeito revela ainda que os próximos investimentos na produção leiteira serão destinados a aquisição de caminhões-tanque resfriados para transportar o produto e aumentar a capacidade de armazenamento. A meta é elevar a produção atual de 7.500 litros/dia para 15 mil litros/dia em 2012 (em 2009, a marca era de 700 litros/dia).
Para o gado de corte, o município aguarda a liberação dos documentos sanitários e ambientais para construir o abatedouro municipal, com capacidade para beneficiar a carne e exportá-la para Manaus já embalada e pronta para o consumo. Atualmente os animais são transportados vivos e abatidos em frigoríficos da capital.
Outro objetivo para os próximos meses dos criadores de Apuí é buscar novos mercados para seus produtos além das fronteiras do Amazonas, aproveitando-se da proximidade geográfica e do acesso por estrada a Rondônia. “Além do estado vizinho, poderemos atingir Mato Grosso, Tocantins e a região sudeste”, acrescentou Marcos Maciel, destacando que a Expoap 2011 contou com participação de criadores e empresários da região Sul do Amazonas e de outros cinco estados.
Fonte: Press Comunicação
Jornal de Humaitá – O portal de notícias do Amazonas
faça um comentários
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais em Amazonas

Leia mais

Brasil conquista pela primeira vez prêmio no Forbes Travel Guide

Belmond Hotel das Cataratas, localizado Parque Nacional do Iguaçu é o primeiro da América …