Estado é o primeiro do país a integrar a totalidade dos seus municípios a um serviço especializado de saúde via telecomunicação
O Amazonas é o primeiro estado brasileiro a ter a totalidade dos seus municípios integrada ao programa estadual de Telessaúde. O programa, que utiliza a comunicação via satélite, permite a realização de exames e consultas especializadas à distância. Os procedimentos são feitos por médicos generalistas nos municípios do interior e as informações – dados, som e imagem – são compartilhados em tempo real com equipes de especialistas dos núcleos coordenadores em Manaus e com médicos plantonistas que podem responder às demandas urgentes a qualquer hora, via smart phone.

O programa de Telessaúde é prioridade do Governo do Amazonas, já estabelecida pelo governador Omar Aziz, para ampliar o acesso a assistência especializada, principalmente no interior. A coordenação do serviço é da Secretaria de Estado da Saúde (Susam), por meio do Comitê Estadual de Apoio ao Telessaúde Brasil, o primeiro do tipo criado no país.
O último município inserido na rede de Telessaúde do Amazonas foi Caapiranga, a 134 quilômetros da capital. A cidade, com 10,9 mil habitantes, começou nesta segunda-feira, dia 17 de outubro, a oferecer os atendimentos à distância, a partir de link com o Hospital Universitário Francisca Mendes, responsável pela área de telecardiologia no Estado.
Com a inserção de Caapiranga, os 61 municípios amazonenses têm agora uma sala de telessaúde, climatizada, com maca, computador, eletrocardiógrafo digital e conexão com a Internet.
“Isto significa que temos a estrutura necessária para ampliar o serviço de cardiologia e outras especialidades médicas, o que reduz a necessidade de deslocamento de pacientes para Manaus e evita os custos financeiros e sociais deste deslocamento”, disse o secretário estadual de Saúde, Wilson Alecrim, durante balanço do programa realizado na manhã desta segunda-feira no Francisca Mendes. O secretário destacou que o sistema também garante acesso mais rápido a especialistas em casos de acidentes e emergências.
100 mil exames – Desde que começou a ser implantado pelo Governo do Amazonas, com apoio da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), o programa de telecardiologia realizou mais de 500 consultas médicas e 110 mil eletrocardiogamas, exame utilizado para identificar problemas no coração. Em média são feitos 4 mil exames deste tipo por mês.
Economia de R$ 7 milhões – Para oferecer cada exame, o Estado gasta o equivalente a R$ 60, valor trinta vezes menor que o referente à passagem aérea e às diárias para um paciente de São Paulo de Olivença, por exemplo. Com a realização dos 100 mil exames sem necessidade de deslocamento do paciente para a capital, foi possível economizar aproximadamente R$ 7 milhões.
O coordenador do programa de Telecardiologia e diretor geral do Hospital Francisca Mendes, Pedro Elias de Souza, destacou que além de eficiente e de baixo custo o sistema ainda permite a capacitação de médicos, enfermeiros e outros profissionais, e a discussão on-line de casos clínicos e conclusão de diagnóstico.
A reitora da Ufam, Márcia Perales, disse que o uso da telessaúde é fundamental para o avanço da capacitação dos profissionais de saúde do interior. “Otimizamos recursos e tempo em um estado com imensas dificuldades de acesso e longas distâncias”.
Além de consultas e exames na área de Cardiologia, o programa estadual de Telessaúde garante consultas em outras 17 especialidades médicas, em 31 municípios do Estado. Este braço do programa é executado pela Escola Superior de Ciências da Saúde da Universidade do Estado do Amazonas (UEA).
Metas para 2012 incluem mamografia e raio X – O secretário Wilson Alecrim informa que as metas do programa para 2012 fortalecerão a linha de cuidados materno-infantil, com a oferta de consultas e exames para mulheres, gestantes e crianças, visando a redução dos índices de mortalidade materna, neonatal e infantil.
Também estão entre as prioridades do programa para o próximo ano a capacitação de profissionais para a atuação na área de urgência e emergência e a oferta dos exames de mamografia e raio X. O passo seguinte serão os exames de tomografia. Estes exames serão feitos como o eletrocardiograma: a imagem será enviada para o centro de laudos em Manaus e o resultado devolvido para o município.
Segundo o secretário Wilson Alecrim, outras instituições locais, nacionais e internacionais também podem ser incorporadas ao programa. Um exemplo são as Fundações estaduais, que são referência em áreas específicas como dermatologia, hematologia, doenças tropicais, oncologia e ortopedia.
O conteúdo do site tem expressa autorização de publicação desde que informe a fonte.
Jornal de Humaitá – O portal de notícias do Amazonas
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais em Amazonas

Deixe uma resposta

Verifique também

Aleam entrega a Ordem do Mérito Legislativo a 27 personalidades

A Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) realizou, no início da noite desta quinta-fei…