O governador do Amazonas, Omar Aziz, anunciou para os próximos dias o lançamento de um programa de capacitação com o objetivo de qualificar mão de obra na capital e no interior. Inicialmente, deverão ser oferecidas 20 mil vagas em cursos técnicos nas mais diversas áreas. O anúncio foi feito na manhã desta quarta-feira, 23 de novembro, durante a abertura da 1ª Conferência do Trabalho e Emprego Decente, no auditório do Corpo de Bombeiros, na avenida Codajás, nº 1.503, Petrópolis, zona sul.

O evento, realizado pela Secretaria de Estado do Trabalho (Setrab), reúne representantes dos governos federal, estadual e municipal, de centrais sindicais, sindicatos patronais, entidades empresariais e do setor rural para discutir políticas de desenvolvimento regional que possam elevar o nível e a qualidade de emprego no Estado, combater o trabalho infantil, o trabalho escravo e aumentar o emprego formal. “Essa conferência vai tratar especificamente das oportunidades que podemos criar para que milhares de amazonenses possam trabalhar com dignidade”, disse o governador, ao declarar aguardar das discussões soluções práticas, principalmente na questão da qualificação e na geração de novas oportunidades de emprego. “Espero que possamos melhorar o nível de emprego e de qualificação.

Quando se tem emprego digno se tem uma vida digna”, declarou Omar Aziz. A falta de mão de obra qualificada foi apontada no evento como um dos principais obstáculos para melhorar o acesso ao emprego formal no Estado.

O governador citou como exemplo o comércio, que anunciou a abertura de 5 mil vagas e não vai exigir qualificação, e a demanda no Distrito Industrial, com a falta de profissionais como soldador, entre outros. Segundo Omar Aziz, qualquer política para a expansão do emprego formal, principalmente no interior, deve ser acompanhada de projetos de capacitação. “Hoje já não temos essa mão de obra, imagine se expandirmos a indústria para o interior. Em Manaus ainda tem possibilidades de cursos. No interior, a dificuldade é maior ainda. Ao mesmo tempo em se que faz o investimento tem que qualificar”, ressaltou o governador. Em no máximo três semanas, segundo ele, o Governo do Estado vai lançar um pacote com os mais variados cursos, ocupando espaços ociosos, como escolas que não funcionam à noite. O planejamento está sendo feito pelo Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam) e a Setrab, que estão identificando as principais demandas da capital e o no interior, onde será levada em conta a vocação do município em relação à atividade econômica.

Omar Aziz citou como exemplo o município de Novo Airão, cuja vocação para o turismo tomou outras dimensões com a inauguração da Ponte Rio Negro e que vai precisar de mão de obra qualificada para poder desenvolver sua potencialidade. “Cabe ao Estado criar políticas de geração de emprego, pois na maioria dos municípios não há indústria ou outra forma de gerar renda que não seja a presença do Estado para fazer com que as pessoas tenham um trabalho digno”. Segundo a secretária de Estado do Trabalho, Iranildes Caldas o evento é provocado pela Organização Mundial do Trabalho (OIT) e esta sendo realizado em todos os Estado brasileiros, em parceria com o Ministério do Trabalho e o Fórum dos Secretários de Trabalho. “Trabalho decente é o trabalho remunerado adequadamente, de carteira assinada, com todas as garantias aos direitos trabalhistas”, disse Iranildes.

Ela destaca que a política de trabalho e renda do Governo do Amazonas tem buscado tanto o fomento de investimentos público e privado em setores produtivos com capacidade de geração de emprego, como a promoção do desenvolvimento local, das redes ou cadeias produtivas e dos arranjos produtivos locais, com foco no fortalecimento das micro e pequenas empresas de economia solidária e cooperativas.

Entre as ações de governo destacadas estão a legalização de empresas, com 70% de custo e agilidade na liberação da documentação, seguido de orientação técnica e cadastro para financiamento na Agência de Fomento do Amazonas (Afeam) e outros organismos bancários; subsidio para a reativação do extrativismo em condições saudáveis e lucratividade comprovada, como a castanha, borracha e o cultivo da juta; incentivo à agroindústria e ao desenvolvimento de cadeias produtivas, incluindo apoio na comercialização; apoio ao turismo como uma das unidades de sustentabilidade e de geração de emprego e renda, entre outros. Atendimento e tratamento profissional – A Setrab, por meio do Sistema Nacional de Empregos (Sine Amazonas) orienta os profissionais com encaminhamento ao emprego e qualificação, seguro desemprego e na volta do profissional ao mercado. Também apoia as pessoas vivendo com deficiência na colocação no mercado de trabalho. No Sine-AM há uma estrutura seletiva para atendimento prioritário a este grupo.

Jornal de Humaitá – O portal de notícias do Amazonas
faça um comentários
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais em Amazonas

Leia mais

‘DÃO’ é preso novamente por Tráfico de Drogas

Força Tática do 4ºBPM efetuou a detenção de PEDRO BRAGA RAMOS vulgo ‘DÃO’, …