Humaitá – Cerca de 1,2 mil homens do Exército de Rondônia, Acre e Amazonas foram convocados para atuar na segurança nas ruas de Porto Velho e algumas cidades do interior de Rondônia por conta da greve da Polícia Militar do Estado. Todas as pessoas que forem presas neste tempo pela Forças Armadas responderão de acordo com a gravidade de seus delitos pela Justiça Militar Federal.

A Operação Rondônia, como foi batizada pelo Exército, está sendo deflagrada nas regiões onde se localizam os principais batalhões da Polícia Militar. Participam da operação, militares dos Batalhões de Infantaria de Selva de Humaita (AM), Rio Branco (AC) e Guajará-Mirim.
De acordo com o secretário de Estado da Segurança, Marcelo Bessa, a paralisação atinge basicamente o município de Porto Velho. O comandante da Polícia Militar de Rondônia, Cesar de Figueiredo, declarou que o apoio do Exército será por tempo indeterminado, enquanto durar a greve. “Não se pode deixar que 1,6 mil policiais militares coloquem em risco a vida da população”, finalizou o comandante.
Segundo o general Ubiratn Potty, comandante da 17ª Brigada, Marinha e Aeronáutica poderão ser acionadas se necessário.
O conteúdo do site tem expressa autorização de publicação desde que informe a fonte.
Jornal de Humaitá – O portal de notícias do Amazonas
Carregar mais artigos relacionado
Carregar mais em Amazonas

Deixe uma resposta

Verifique também

Crescimento do PIB confirma acerto das reformas

A revisão da estimativa oficial de crescimento do PIB brasileiro, para 1,1% em 2017 e 3% e…