Jornal de Humaitá

Aftosa: Maranhão, Pará, Pernambuco e Piauí podem ser áreas livres

Aftosa: Maranhão, Pará, Pernambuco e Piauí podem ser áreas livres
Estados têm, hoje, o status de risco médio para doença e, por isso, só podem comercializar carne para regiões com a mesma classificação sanitária

Os Estados do Maranhão, Pará, Pernambuco e Piauí podem obter ainda este ano do Ministério da Agricultura o reconhecimento de áreas livres de febre aftosa com vacinação. A conquista do novo status acontecerá caso cumpram as exigências do projeto que visa a ampliar a zona livre da doença no País. Esses Estados têm, hoje, o status de risco médio para aftosa e, por isso, só podem comercializar carne para regiões com a mesma classificação sanitária. Ou seja, não podem exportar a proteína nem vendê-la para as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do País, hoje reconhecidamente áreas livres da doença com vacinação. Em todo o Brasil apenas o Estado de Santa Catarina é zona livre de aftosa sem vacinação, desde 2007.

Em reunião na última terça-feira (17), em Brasília, entre o ministro Mendes Ribeiro Filho e os secretários de Agricultura dos quatro Estados, foi confirmada a agenda de auditoria e sorologia necessárias para a análise que vai declarar, ou não, o novo status dessas regiões. O cronograma elaborado pelo Ministério prevê que em fevereiro uma nova auditoria será feita para checar se as pendências apontadas pelo governo em avaliação anterior, no ano de 2011, foram sanadas. Em março serão sorteadas centenas de propriedades para que seja realizada, entre os meses de abril e maio, a sorologia dos animais, que tem como objetivo provar a inexistência da circulação do vírus da aftosa. Todo o processo será concluído em outubro.

Caso os quatro Estados sejam aprovados, receberão do Ministério o status de área livre com vacinação. O próximo passo será encaminhar a documentação para a Organização Internacional de Saúde Animal (OIE) para que sejam reconhecidos pelo organismo multilateral. Geralmente, a OIE decide sobre a concessão de status sanitários em sua reunião anual que ocorre em maio.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Pará tinha, em 2010, um rebanho de 17,6 milhões de cabeças; o Maranhão, 7 milhões de cabeças; Pernambuco, 2,4 milhões de cabeças; e Piauí, 1,68 milhão de cabeças. O rebanho total do País era de 209,5 milhões de bovinos.

O secretário de Agricultura do Maranhão, Cláudio Azevedo, afirmou, por meio de nota, que com o status de região livre da febre aftosa os mercados interno e externo se abrirão para a carne do Estado. “Os criadores poderão buscar preços competitivos para sua atividade pecuária e o Maranhão vai atrair novos investidores para o setor rural”, disse. O Estado não registra caso de aftosa há dez anos.

Status nos Estados – Atualmente, 15 Estados brasileiros são reconhecidos pela OIE como livres de febre aftosa com vacinação: Acre, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, São Paulo, Sergipe, Tocantins e Distrito Federal. Além disso, detêm esse status a região centro-sul do Pará, os municípios de Guajará e Boca do Acre e partes dos municípios de Lábrea e Canutama, todos no Amazonas.

O Ministério da Agricultura reconhece como de risco médio de febre aftosa os seguintes Estados: Alagoas, Ceará, Maranhão, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Piauí e as regiões norte e oeste do Pará, incluindo a ilha do Marajó. Em alto risco encontram-se Roraima, Amapá e as demais áreas do Estado do Amazonas.

O conteúdo do site tem expressa autorização de publicação desde que informe a fonte.

Jornal de Humaitá – O portal de notícias do Amazonas

Comentários

Comentários

Click to add a comment

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Leave a Reply

Jornal de Humaitá

More in Jornal de Humaitá

Alunos estaduais participam de mostra de alimentação saudável

Jornal de Humaitá24 24America/Manaus novembro 24America/Manaus 2017
black fridey botão

Como transformar clientes da Black Friday em defensores de sua marca?

Jornal de Humaitá24 24America/Manaus novembro 24America/Manaus 2017

Indústria automotiva precisa questionar qual será o seu papel no futuro

Jornal de Humaitá23 23America/Manaus novembro 23America/Manaus 2017

Veja: Ainda dá tempo de ter o próprio negócio em 2017

Jornal de Humaitá23 23America/Manaus novembro 23America/Manaus 2017

Urgente! Adolescente é apreendido suspeito de homicídio em Manicoré-AM

Jornal de Humaitá23 23America/Manaus novembro 23America/Manaus 2017

José Ricardo volta a cobrar instalação da CPI da Saúde

Jornal de Humaitá23 23America/Manaus novembro 23America/Manaus 2017

Safra do guaraná em Maués (AM) já rendeu 200 toneladas

Jornal de Humaitá23 23America/Manaus novembro 23America/Manaus 2017

Em Manicoré, menor de 15 anos é apreendido pelo crime de posse ilegal de arma de fogo e ameaça

Jornal de Humaitá23 23America/Manaus novembro 23America/Manaus 2017

Polícia Militar prende homem suspeito de trocar tiros com facção rival em tapauá

Jornal de Humaitá23 23America/Manaus novembro 23America/Manaus 2017
Seja bem vindo.

Categorias

Arquivos

Copyright © 2017 Jornal de Humaitá