Manaus-AM. O governador Omar Aziz assegurou aos alunos da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), durante aula inaugural, na tarde desta terça-feira, 6 de março, que ainda neste ano inicia a construção da Cidade Universitária e inaugura uma unidade em Presidente Figueiredo, como parte do plano de expansão da instituição. Durante a abertura do ano letivo de 2012, Omar Aziz destacou ainda o uso da tecnologia para facilitar o acesso ao ensino superior e os serviços prestados pela instituição à comunidade, como o Núcleo de Atendimento Odontológico a Pacientes Especiais (Naope), inaugurado também nesta terça-feira.
“É através da educação que vamos conseguir mudar a realidade do Amazonas”, disse o governador para alunos presentes na Escola Superior de Ciências da Saúde, na avenida Castelo Branco, nº 1.780, Cachoeirinha, zona sul, e em mais 17 unidades da UEA do interior do Estado, para onde a aula inaugural foi transmitida por meio do sistema IPTV (Internet Protocol Television), que transmite programas televisivos utilizando a rede de internet, com interação entre TV, vídeo e internet. O sistema é o que permite a oferta de cursos no modelo Ensino Presencial Mediado por Tecnologia para cerca de 5 mil estudantes do interior.

Por meio do IPTV, o governador Omar Aziz interagiu com alunos e professores dos municípios de Coari, Alvarães e Manacapuru. Para o professor e gerente do Núcleo da UEA em Coari (a 270 quilômetros de Manaus), Tarcísio Fontes, a tecnologia está revolucionando a educação no Amazonas “É uma honra estarmos utilizando essa tecnologia”, disse, ao destacar que até junho a unidade de Coari terá formado 800 alunos.

Ao todo, a UEA inicia o ano letivo de 2012 com 25 mil alunos matriculados, sendo 5.060 aprovados no último vestibular. Ainda neste ano, disse Omar Aziz, o Governo do Estado inicia a construção da Cidade Universitária em Iranduba (a 25 quilômetros de Manaus), dotada de alojamento com vaga para 2 mil alunos do interior do Estado. Omar Aziz reafirmou, também, que vai implantar mais dez núcleos da UEA no interior do Estado e que o primeiro a ser inaugurado deve ser em Presidente Figueiredo (a 107 quilômetros de Manaus). Os núcleos de Tefé e São Gabriel da Cachoeira (a 520 e a 852 quilômetros da capital, respectivamente) serão transformados em centros de ensino superior da instituição, com estrutura ampliada.

Atendimento odontológico especial – Após a abertura do ano letivo, o governador Omar Aziz inaugurou o Núcleo de Atendimento Odontológico a Pacientes Especiais (Naope), instalado na Policlínica Odontológica da UEA, na avenida Castelo Branco, nº 1.780, Cachoeirinha, zona sul. A implantação do espaço, dedicado ao atendimento de pessoas com deficiência, atende a uma determinação do governador para que os órgãos do Governo do Estado dediquem atenção especial a essa parcela da população. “Lançamos o programa “Viver Melhor” voltado especificamente para portadores de necessidades especiais, que está reformando casas, qualificando e prestando atendimento médico e agora temos a UEA prestando assistência odontológica através da sua clínica”.

O Naope foi implantado por meio de parceria entre a UEA e o governo japonês, que investiu US$ 103 mil para equipar o núcleo cuja estrutura foi reformada pelo Governo do Estado. O Ministério da Saúde também participa do convênio com o repasse de R$ 50 mil para instalação do núcleo e mais R$ 8,7 mil mensais para auxiliar na manutenção.

Com capacidade para atender cerca de 200 pacientes, o núcleo vai ampliar os serviços oferecidos pela policlínica, um moderno complexo para atendimento diário e gratuito a mais de 500 pacientes por mês, com uma média de 900 procedimentos de baixa complexidade, incluindo restaurações, pequenas cirurgias e profilaxias.

“O Naope vai garantir atendimento aos pacientes com necessidades odontológicas mais intensificadas devido a sua patologia orgânica. São pessoas com características que interferem e dificultam o desenvolvimento da atenção odontológica em todos os níveis, desde uma simples limpeza ou aplicação de flúor até uma cirurgia de alta complexidade”, explica o médico Cleinado costa, diretora da Escola Superior de Ciências da Saúde (ESA) da UEA.

A ESA/UEA, de acordo com o sanitarista Gilberto Pucca, coordenador nacional do programa Saúde Bucal do Ministério da Saúde, é credenciada para convênios como este “pela qualidade pedagógica do curso e excelência no trabalho da Policlínica Odontológica da universidade”.

Centro de estudos – O núcleo vai servir, ainda, de centro de estudos para desenvolver pesquisas em parceria com instituições especializadas como a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), Sociedade Pestalozzi do Amazonas e Associação de Deficientes Físicos do Amazonas (Adefa). O Naope deve reforçar a grade curricular dos cerca de 400 estudantes de Odontologia da UEA, principalmente na disciplina de Atendimento a Pacientes Especiais.

Segundo a diretora Policlínica Odontológica e professora no curso de Odontologia, Tânia Alcântara, a instalação do núcleo será decisivo na formação de profissionais ainda mais capacitados para o mercado de trabalho. “A integração de acadêmicos das áreas de Psicologia, Serviço Social, Nutrição e Enfermagem em equipes multidisciplinares que trabalharão no Naope agrega ainda mais importância ao programa de atendimento especializado da UEA”, defende Tânia, para quem a parceria com outras universidades trará benefícios para todos os estudantes envolvidos no projeto.

O curso de Odontologia da UEA é oferecido somente em Manaus e disponibiliza 100 vagas anuais. São 50 vagas para candidatos nascidos na capital e 50 para estudantes do interior do Amazonas. A grade curricular é composta por 53 matérias agrupadas em dez períodos, incluindo três estágios supervisionados obrigatórios. Até dezembro de 2011, a UEA formou 332 cirurgiões-dentistas.

O conteúdo do site tem expressa autorização de publicação desde que informe a fonte.

Jornal de Humaitá – O portal de notícias do Amazonas
Carregar mais artigos relacionado
Carregar mais em Jornal de Humaitá

Deixe uma resposta

Verifique também

MPT encontra indícios de demissão discriminatória por idade na Estácio de Sá

Levantamento feito em uma lista de 77,8% dos professores dispensados mostra que eles têm m…