O prefeito de Humaitá, Dedei Lobo, elogiou a estruturação do polo de piscicultura. “É o programa mais importante da gestão do governador Omar Aziz no Sul do Amazonas”

Em Humaitá, o secretário da Sepror, Eron Bezerra, ao lado do prefeito do município, Dedei Lobo, e do superintendente estadual do Banco do Brasil, Marcelo Palhano.
Com o objetivo de fomentar a piscicultura no interior do Estado, o Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Produção Rural (Sepror), reuniu, nesta quinta-feira (7), em Humaitá (a 590 quilômetros de Manaus), cerca de 300 produtores do setor para orientar sobre acesso à linha de financiamento para o Polo de Piscicultura do Madeira. A Sepror também realizou, um dia antes, o pagamento de R$ 785.611,00 a pescadores de Maraã (a 632 quilômetros de Manaus), referente a 134 toneladas de pirarucu comercializadas.

Em Humaitá, o secretário da Sepror, Eron Bezerra, ao lado do prefeito do município, Dedei Lobo, e do superintendente estadual do Banco do Brasil, Marcelo Palhano, apresentou aos pescadores do município e também de Manicoré e Canutama, presentes no evento, a possibilidade de acesso a linhas de crédito tanto do Banco do Brasil quanto de outras instituições. Para acessar as linhas, os pescadores terão o apoio do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), que poderá avaliar os projetos a serem financiados.

Além de anunciar o apoio do Idam para agilizar o acesso ao crédito, Eron Bezerra realizou a entrega de 10 mil alevinos a produtores de Humaitá, Manicoré e Canutama. O secretário também visitou a obra da Estação de Alevinagem, que está em fase de conclusão em Humaitá. Dos 22 tanques previstos, 12 já estão construídos e todos com peixes sendo criados.
A ação realizada em Humaitá faz parte do programa Amazonas Rural, lançado ano passado pelo governador Omar Aziz, e que tem como meta atingir a produção de 100 mil toneladas de peixe anualmente a partir da piscicultura. “A produção de peixe oriunda da pesca em rios é da ordem de 180 mil toneladas anuais. Iremos complementar essa produção com o pescado criado em tanques. E só com o polo sediado em Humaitá queremos atingir 25 mil toneladas por ano”, destacou o titular da Sepror, Eron Bezerra.
Para atingir as metas, potencializar a atividade econômica nos municípios e elevar a renda da população do interior do Estado, o Governo do Estado tem atuado em várias frentes, a exemplo do acesso a financiamentos para abertura de tanques,  além da construção de estações de alevinagem e doações de alevinos.
Oportunidade – O prefeito de Humaitá, Dedei Lobo, elogiou a estruturação do polo de piscicultura. “É o programa mais importante da gestão do governador Omar Aziz no Sul do Amazonas”, destacou, lembrando que o projeto impacta positivamente na vida do produtor rural, que passa a elevar sua renda.
O cuidado com o meio ambiente foi um dos aspectos ressaltados pelo presidente da Associação de Pecuaristas e Produtores Rurais de Humaitá (Aprhuma), Nei Rossato. “O estímulo deixado por esse projeto permite que o produtor aumente seu ganho sem precisar agredir a floresta. Porque numa área necessária para criar um gado é possível criar centenas e até milhares de peixes e ter um lucro muito maior. Muitos pecuaristas já passaram a trabalhar com a piscicultura”, ponderou.
Pagamento de pescadores – No dia 6 de fevereiro, os pescadores de Maraã, que fornecem pirarucu para a fábrica de Bacalhau da Amazônia, receberam R$ 785.611 do Governo do Estado referentes a comercialização de cerca de 134 toneladas de pirarucu.
A solenidade de pagamento que aconteceu no Ginásio Arlindo Porto contou com a presença do secretário da Produção Rural, Eron Bezerra; do prefeito em exercício de Maraã, Magno Moraes; o representante da Colônia de Pescadores, Zeca Praiano, e do diretor técnico da Fábrica de Bacalhau da Amazônia, Bismarck Prazeres; além dos 581 pescadores.
Na oportunidade, Eron Bezerra ressaltou a importância de garantir dignidade aos trabalhadores do campo.  “A fábrica de Bacalhau da Amazônia ainda funciona em caráter experimental e já é um sucesso. Temos capacidade para processar 1500 toneladas de peixe. O Governo do Amazonas tem o compromisso de agregar valor aos produtos do campo e aumentar a renda dos trabalhadores rurais”.

Fotos: Alfredo Fernandes / Agecom
            Luzimar Bessa

Jornal de Humaitá – O portal de notícias do Amazonas
Carregar mais artigos relacionado
Carregar mais em Amazonas

Deixe uma resposta

Verifique também

Crescimento do PIB confirma acerto das reformas

A revisão da estimativa oficial de crescimento do PIB brasileiro, para 1,1% em 2017 e 3% e…