Entres acusações a suspeitas de corrupções e criticas ao Incra, Madeireiros, pecuaristas,Garimpeiros, Comerciantes e o prefeito são parte de um rastilho de pólvora em uma região marcada pela ilegalidade, violência, omissão do Estado e terra de Macondos ( multiplicação de boatos).

Humaitá-AM

Humaità. Segundos o site “A Pública passou uma semana em Humaitá – uma cidade onde nem os Tenharim, nem os Parintintin, nem os Jihaui podem pisar, sob pena de serem espancados e mortos. Não apenas por comerciantes e pecuaristas, mas por moradores que, como eles, vivem na pobreza.”


No site A Pública o redator  Alceu Luís Castilho postou duas matérias publicadas de sua autoria.“a BATALHA DE HUMAITÁ” E “MATAR UM ÍNDIO PARA PEGAR UMA ÍNDIA” com os seguintes sub-títulos. 


  • EM HUMAITÁ, A ORIGEM INDÍGENA SE APAGA 
  • CONDENADOS PELO PRECONCEITO, INDÍGENAS VIVEM APARTHEID
  • POLÍTICA E NEGÓCIOS: A RECEITA DA ELITE
  • UM TERÇO DO TERRITÓRIO GRILADO
  • A REVOLTA DOS MADEIREIROS
  • EM TERRA TENHARIM, O CLAMOR É POR INVESTIGAÇÃO POLICIAL
  • ÍNDIO? “TEM QUE MATAR UM POR UM”
  • DANDO NOMES AOS BOIS


veja a integra. 

O conteúdo do site tem expressa autorização de publicação desde que informe a fonte.

Jornal de Humaitá – O portal de notícias do Amazonas
Carregar mais artigos relacionado
Carregar mais em Jornal de Humaitá

Deixe uma resposta

Verifique também

Movimento Transparência Partidária entregam petição para Gilmar Mendes

O Movimento Transparência Partidária em parceria com outras 18 organizações entregou esta …