O evento, que faz parte da campanha “Viva seu município – Você nasceu aqui, não o deixe morrer”, é coordenado pela Associação Amazonense de Municípios (AAM) 

Quarenta e oito prefeituras do Amazonas, ou 78% do total, já confirmaram presença no encontro em Manaus, nesta sexta-feira (11), que vai marcar a mobilização nacional contra a política tributária federal e as perdas financeiras dos municípios brasileiros no Estado.

O evento, que faz parte da campanha “Viva seu município – Você nasceu aqui, não o deixe morrer”, é coordenado pela Associação Amazonense de Municípios (AAM) e acontece no auditório João Bosco, da Assembleia Legislativa do Estado, às 9h e deverá contar com a participação de deputados federais e senadores do Amazonas.
“Desde segunda-feira (7) nossos técnicos estão percorrendo todos os gabinetes em Brasília para convidar pessoalmente cada um dos parlamentares para esta reunião na qual também faremos um balanço dos projetos e iniciativas realizadas nos últimos quatro anos por eles”, destacou o presidente da AAM, Iran Lima.
Entre as reivindicações que serão apresentadas no evento está o reajuste de 2% do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), reformulação das leis de cobrança do ISS, revisão das desonerações de IPI concedidas pela União, distribuição equalitária dos royalties do petróleo e renegociação das dívidas previdenciárias.
Entre 1995 e 2012, apenas com o FPM, os 62 municípios do Amazonas tiveram um prejuízo de R$ 3,8 bilhões que deixaram de ser repassados pelo Governo Federal.
“É preciso alertar a sociedade que a divisão de recursos e responsabilidades entre os entes federados está desequilibrada, prejudicando diretamente a população uma vez que os municípios, especialmente os menores, estão perdendo a capacidade de investir, fato que a médio e longo prazo vai inviabilizar qualquer gestão”, explicou Lima.
Durante o encontro, os prefeitos também farão uma avaliação da paralização das atividades administrativas das prefeituras do Estado no dia 11.
CHEIA
No encontro em Manaus, a AAM também fará um balanço da cheia que afeta o Estado este ano e que segundo levantamento da entidade concluído na última terça-feira (8), levou 14 municípios do interior a decretar Estado de Emergência (Borba, Apuí, Boca do Acre, Canutama, Envira e Guajará, Ipixuna, Lábrea, Manicoré, Novo Aripuanã, Pauini, Nova Olinda do Norte, Tapauá e Itamarati) e um ao Estado de Calamidade (Humaitá).
Destes, onze tiveram sua situação reconhecida pela Defesa Civil Nacional e já estão aptos a receber o auxílio e verbas federais.
“Porém nenhuma cidade amazonense recebeu nada até agora, mas acredito que com a união e o suporte dos nossos parlamentares em Brasília poderemos dar maior celeridade aos processos”, avaliou Iran Lima ao acrescentar que a situação estaria pior sem a ajuda humanitária do Governo do Estado que já está em muitas localidades afetadas pela cheia.
O conteúdo do site tem expressa autorização de publicação desde que informe a fonte.
www.jornaldehumaita.com.br

Jornal de Humaitá – O portal de notícias do Amazonas
Carregar mais artigos relacionado
Carregar mais em Amazonas

Deixe uma resposta

Verifique também

MPT encontra indícios de demissão discriminatória por idade na Estácio de Sá

Levantamento feito em uma lista de 77,8% dos professores dispensados mostra que eles têm m…