Uma adolescente de 17 anos está sendo investigada pela Delegacia Especializada em Apurações de Atos Infracionais (Deaai) pela suspeita de ter molestado o filho, um menino de 4 anos. Segundo a titular da especializada, a criança foi internada no Hospital da Criança, na Zona Sul de Manaus no dia 28 de janeiro, onde os médicos constataram vários hematomas e marcas de queimadura. A mãe do menino deve ser ouvida nesta quinta-feira (4).

A delegada Rita Tenório, titular da Deaai, contou que o caso está sendo investigado desde a terça-feira (2).

“A avó materna contou que a filha saiu da casa do pai e foi morar com uma companheira e a criança há cerca de cinco meses. Desde lá, a avó não conseguia ver o menino com frequência porque a adolescente evitava os encontros. A avó resolveu ir na casa da filha e, quando chegou, encontrou a criança com vários hematomas e marcas de queimadura pelo corpo, além de estar com algumas lesões no pênis”, relatou.

Após ser levada ao hospital, médicos da unidade informaram o caso ao Conselho Tutelar, que fez a denúncia à Delegacia Especializada em Proteção de Crianças e Adolescentes (Depca). A avó materna, o conselheiro e um outro familiar chegaram a ser ouvidos. Como a mãe e a companheira dela passaram a ser suspeitas das agressões e do estupro, o caso foi encaminhado à Deaai.

Segundo a delegada, o menino passou por cirurgia de fimose no Hospital da Criança e teve alta hospitalar no início deste mês.

Ele também passou por exames de corpo de delito que devem apontar se ele foi vítima de abuso sexual, ou se ficou com o órgão genital ferido por conta do procedimento necessário para a preparação da cirurgia de fimose. O laudo deve sair em 30 dias.

A delegada informou que se for constatado os abusos, a adolescente vai responder por ato infracional de maus tratos e estupro de vulnerável. A companheira, que também é suspeita, pode ser indiciada pelos mesmos crimes.

Carregar mais artigos relacionado
Carregar mais em Destaque

Deixe uma resposta

Verifique também

MPT encontra indícios de demissão discriminatória por idade na Estácio de Sá

Levantamento feito em uma lista de 77,8% dos professores dispensados mostra que eles têm m…