otorpedia
(Foto: Divulgação)

O perigo não mora ao lado. Na verdade, geralmente, ele está dentro de casa. Pelo menos é o que revela o levantamento feito pelo Pronto Socorro Dr. Platão Bezerra de Araújo. De acordo com a instituição, dos 507 pacientes que passaram por cirurgia ortopédica em 2015 na unidade, a maioria crianças com idade entre 5 e 10 anos, cerca de 41% foi vítima de acidentes domésticos.

Os dados mostram ainda que 29% dos pacientes que passaram por cirurgia por conta de fratura sofreram o acidente na escola e outros 23% foram vítimas de acidentes no trânsito.

De acordo com o diretor de cirurgia do hospital, Paulo Su, quedas de escada e laje são as principais causas de acidentes em casa, principalmente com o público infantil. “Obviamente, o acidente está relacionado à educação, mas também está ao ambiente. Então, os pais devem tomar cuidado com a orientação, pois crianças com idade entre 5 e 10 anos estão em um período muito dinâmico e ativo”, explica.

Atualmente, fraturas nos braços e nas pernas são as mais frequentes entre o público que realiza cirurgia ortopédica no Amazonas.

Agilidade – Com uma média de 10 a 16 cirurgias ortopédicas realizadas semanalmente, o pronto socorro, que conta com cinco leitos para o atendimento dos casos, extinguiu as filas de espera para a realização dos procedimentos. Segundo a coordenadora do centro cirúrgico do Platão Araújo, Noemi dos Santos, a meta é que pacientes fiquem apenas de dois a três dias internados.

“Cerca de 96% dos casos de cirurgia são liberados já na primeira semana. O bom resultado é fruto da agilidade no preparo dos pacientes, com os cuidados pré-operatórios, já que hoje ele tem o conforto de fazê-los um dia antes da cirurgia aqui mesmo na unidade. Isso antes não existia”, completou Paulo Su.

Pacientes – A atenção concedida pela equipe do hospital não passa despercebida pelos pacientes. Acompanhando a filha mais nova, a feirante Vilma Ferreira é presença constante na unidade de saúde. De acordo com ela, a prioridade dada ao público infantil é um exemplo a ser seguido da rede pública de saúde.

“Minha filha quebrou o braço quando tinha quatro anos e, por algumas complicações. tem de fazer cirurgias de correção no braço constantemente. Isso nos traz aqui todos os dias. O que poderia ser um tormento, se não fosse o atendimento maravilhoso que recebemos de todos e a agilidade com que tudo se resolve. Ela entrou ontem, fez cirurgia hoje de manhã e amanhã pega alta”.

Prevenção – Além de causar as cirurgias, os acidentes registrados dentro de casa são justamente a principal causa de morte dos jovens brasileiros, de acordo com o Ministério da Saúde. Para prevenir os incidentes, Paulo Su reforça alguns cuidados a serem tomados.

“Os armários e estantes devem ser instalados presos às paredes, porque dessa forma a criança não tem como ficar balançando até que o objeto caia sobre ela. O mesmo deve ser feito com os eletrodomésticos, televisores e aparelhos de som. Pais também devem se manter vigilantes”, alerta.

Na escola, onde aconteceram 29% dos acidentes que resultaram em cirurgias ortopédicas em crianças, no Platão Araújo, o médico orienta professores e monitores para ficarem atentos, principalmente, na hora do recreio.

*Jornal de Humaitá – Com informações da assessoria.

Divulgue sua empresa aqui

faça um comentários
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais em Ciência

Leia mais

Festival paraense volta a Manaus na Arena da Amazônia

No início de março Manaus volta a ser palco do sucesso festival paraense que arrecadará o …