Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror) e a Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf), lançou na manhã desta sexta-feira, 11 de março, a primeira etapa de 2016 da Campanha de Vacinação contra a Febre Aftosa. Neste primeiro momento, a imunização atenderá 41 municípios do Baixo e Médio Amazonas no período de 15 de março a 30 de abril, com expectativa de vacinar aproximadamente 445 mil cabeças de gado.

“O trabalho em prol da sanidade animal é constante, mas esse é o momento de intensificar e trabalhar para erradicar a Aftosa. Nós estamos a um passo de alcançar o status de área livre da doença e junto ao trabalho de levantar barreiras sanitárias e controle de trânsito do animal vamos conseguir isso”, disse o secretário de Produção Rural, Sidney Leite, durante o lançamento oficial da campanha que aconteceu numa propriedade rural no município de careiro Castanho.

Neste ano, a novidade é que a vacina será, em grande parte dos municípios, adquirida diretamente nas casas agropecuárias credenciadas. Em outra parcela, a revenda da dose deve ser adquirida nas unidades do Idam local.

Sidney ainda destacou que uma das estratégias do governo estadual é sensibilizar da maneira mais pedagógica possível os pecuaristas. “Bem antes de iniciar a campanha nós já abrimos diálogo, cursos e palestras com esses produtores defendendo que cuidar da saúde do animal é cuidar do patrimônio que eles possuem, além é claro de assegurar a qualidade da carne e do leite”, completou.

Exportação de carne – As ações contra aftosa também têm apelo econômico e educativo, uma vez que, alcançar o status de livre da doença implementa todo o País no cenário comercial internacional para exportação de carne. É ciente dessas informações que o pecuarista, Pedro Arruda, declara que a saúde dos animais dele é prioridade.

“O pecuarista precisa colocar o produto dele no mercado para sobreviver. O mercado está cada vez mais exigente e quer produto de qualidade. O primeiro passo é cuidar da saúde do animal”, disse.

O presidente da Adaf, Hamilton Casara, destacou que o desempenho do Amazonas é satisfatório e tem acompanhado as metas estabelecidas pelo Governo Federal. “Nós temos dado toda atenção necessária ao Programa de Erradicação da Febre Aftosa (PNEFA), cujos índices demonstrados em relatórios das campanhas de vacinação contra a doença têm colocado o Amazonas como atendente das metas do Governo Federal, com cobertura vacinal de 91,52% durante a primeira etapa, contabilizando cerca de 932.288 animais vacinados”, informou Casara em relação à ultima campanha de vacinação em 2015.

O presidente ainda ponderou que há punição com pagamento de multa para quem não comprovar a vacinação junto aos escritórios da Adaf. “Os criadores de animais que não comprovarem a vacinação nos escritórios estão sujeitos a multas e proibidos de comercializar os animais. Nesses casos, o rebanho pode ser vacinado sob acompanhamento e fiscalização de serviço veterinário oficial. No Amazonas, a multa é de R$ 40 por cabeça de gado não imunizada”, disse.

Sobre a Aftosa – A febre aftosa é uma doença infecciosa aguda que causa febre, seguida do aparecimento de vesículas (aftas), principalmente, na boca e nos pés de animais de casco fendido, como bovinos, búfalos, caprinos, ovinos e suínos. A doença é causada por um vírus, que pode se espalhar rapidamente, caso as medidas de controle e erradicação não sejam adotadas logo após a sua detecção. O vírus também pode ser transportado pela água, ar, alimentos, pássaros e pessoas (mãos, roupas e calçados) que entraram em contato com os animais doentes.

Por que erradicar? –  A erradicação da febre aftosa abre perspectivas para uma maior rentabilidade das empresas rurais, cria oportunidade para o crescimento da produção animal, com melhores fluxos de distribuição além de evitar impactos sociais e econômicos que a doença traz para os pecuaristas.

Municípios onde a vacina será adquirida por meio do Idam:

  • Alvarães, Amaturá, Anamã, Anori, Atalaia do Norte, Benjamin Constant, Beruri, Boa Vista do Ramos, Borba, Caapiranga, Coari, Codajás, Fonte Boa, Itapiranga, Japurá, Jutaí, Maraã, Nova Olinda do Norte, Santo Antônio do Içá, São Paulo de Olivença, São Sebastião do Uatumã, Silves, Tabatinga, Tefé, Tonantins, Uarini.

Municípios em que as vacinas serão adquiridas por meio das casas agropecuárias credenciadas:

  • Autazes, Barreirinha, Careiro Castanho, Careiro da Várzea, Iranduba, Itacoatiara, Manacapuru, Manaquiri, Manaus, Maués, Nhamundá, Parintins, Rio Preto da Eva, Urucará, Urucurituba.

 

faça um comentários
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais em Amazonas

Leia mais

Por que demitir pode não ser a melhor estratégia?

Segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) o Brasil encerrou o …