(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Manaus – “Não somos um subestado, não precisamos de uma sub-BR de barro batido. Precisamos de uma BR asfaltada e agora nós precisamos do próximo passo, que é a liberação da licença ambiental para o asfaltamento da BR-319”, afirma o presidente da Comissão de Assuntos Municipais e Revisão Territorial da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), Platiny Soares (DEM), ao receber a informação de que as licenças de manutenção da BR-319 foram liberadas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Segundo Platiny Soares a Licença de Instalação (LI), para obras de manutenção da BR-319, foram assinadas na tarde desta segunda-feira (4), e encaminhadas ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). “O Ibama ao liberar a licença, gera uma guia de pagamento para o DNIT. Somente após o pagamento dessa fatura será dada a publicidade da licença no site do Ibama e então as obras começam de fato”, disse.

A licença é assinada pela presidente do Ibama, Marilene Ramos, e dá autorização para o Dnit realizar obras de manutenção no trecho do meio da BR-319, que compreende os quilômetros 250 a 655, que liga Manaus até Porto Velho, e passa por pelo menos sete outros municípios amazonenses em seu trajeto.

“Essa luta precisa cada vez mais ser intensificada. Precisamos dos movimentos populares. Dos movimentos sociais. E a sociedade civil organizada empenhada conosco para que consigamos, em tempo recorde, fazer o que em 40 anos nunca foi feito: conseguir as licenças ambientais para o asfaltamento da BR-319 que integra o Amazonas ao Brasil”, afirma Platiny Soares.

Texto: assessoria

faça um comentários
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais em Amazonas
Comments are closed.

Leia mais

Interdição federal e Segurança Pública do Amazonas na mira da ALEAM

Crítica à intervenção federal no Rio de Janeiro, assim como a falta de segurança pública e…