Jornal de Humaitá

Com reportagens de estudantes, escola pública estadual lança jornal comunitário

Com reportagens de estudantes, escola pública estadual lança jornal comunitário

estudantes

Foto: Divulgação

Para despertar nos estudantes um maior interesse pela leitura e pela prática da escrita, a escola estadual Gilberto Mestrinho, localizada no bairro Colônia Antônio Aleixo, zona leste de Manaus, lançou neste ano letivo um jornal comunitário. Intitulado “GM em Ação”, o projeto, com a devida orientação de professores da escola, leva os alunos a conhecerem a realidade da comunidade, a dialogar e entrevistar moradores e a propor medidas para as necessidades apresentadas pela população.

Desenvolvido com 90 estudantes matriculados no 7º ano do ensino fundamental, o projeto contribui para o desenvolvimento da escrita, da leitura e das aptidões de comunicação e expressão dos alunos participantes.

Conforme uma das coordenadoras da iniciativa, a professora de Língua Portuguesa que possui formação em Letras pela Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), Francis Dorval, 36, o projeto também é um incentivo à realização de pesquisas e ações extraclasses. “Para o desenvolvimento deste trabalho, os estudantes são pautados a abordar temas do cotidiano escolar e também de interesse da comunidade. Dessa forma, eles precisam ir a campo coletar as informações, o que potencializa o projeto e suas possibilidades de aprendizado”, disse a professora.

De acordo com Francis Dorval, integrados ao “GM em Ação”, os alunos são orientados a ler jornais e a acompanhar notícias sobre assuntos diversos, suscitando debates em sala de aula e formando também o senso crítico dos estudantes. “Além da coleta de informações com o público interno e externo, outros pontos são trabalhados com os alunos, tais como o contato deles com os canais de veiculação de notícias. Na escola, tudo isso, procuramos tratar de maneira didática e pedagógica”, informou a professora.

Resultados já aparecem – A primeira edição do jornal comunitário “GM em Ação” foi lançada no último dia 29 de abril, no dia de aniversário da escola.

Com dois meses de produção do referido material informativo que envolveu, inclusive, a visita dos estudantes à redação de jornais da capital, a professora Francis Dorval evidenciou a contribuição do projeto escolar para o aprendizado. “Mesmo com pouco tempo de execução já conseguimos identificar resultados práticos. Com o projeto, os alunos passaram a adotar o dicionário e eles passaram a atribuir um maior valor à leitura”, destacou a professora, acrescentando que, alguns estudantes já pensam, inclusive, em seguir carreira no segmento de Jornalismo.

FOTOS: DIVULGAÇÃO/SEDUC

Comentários

Comentários

Jornal de Humaitá

More in Jornal de Humaitá

Bradesco em Humaitá

Cabo Maciel critica serviço oferecido pelo banco Bradesco em Humaitá

Jornal de Humaitá20 de outubro de 2017

Comandante do 4°BPM em Humaitá faz homenagens aos Policiais Militares da Reserva

Jornal de Humaitá20 de outubro de 2017

As mentiras que os candidatos contam

Jornal de Humaitá19 de outubro de 2017

Vídeo: PF deflagra operação contra tráfico de drogas e lavagem de dinheiro em Humaitá

Jornal de Humaitá18 de outubro de 2017

Marido de professora morta brutalmente em Humaitá se entrega nesta terça-feira (17)

Jornal de Humaitá18 de outubro de 2017

Multidão acompanha cortejo da professora Keilyanne Ribeiro

Jornal de Humaitá17 de outubro de 2017

​Editora Leya Realiza evento em Manaus para debater Universos Literários

Jornal de Humaitá17 de outubro de 2017

Urgente: Professora é brutalmente assassinada em Humaitá-AM

Jornal de Humaitá16 de outubro de 2017

“Vou dar o golpe da barriga”, diz Adriane Galisteu em entrevista

Jornal de Humaitá14 de outubro de 2017