Para fortalecer junto aos jovens os preceitos de Educação Ambiental, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) oportunizou a um grupo de estudantes da rede pública a participação em atividades no Circuito da Ciência.

As atividades foram realizadas no Bosque da Ciência, localizado na Avenida André Araújo, nº 2936, bairro Petrópolis, zona sul de Manaus, reunindo 200 alunos das escolas estaduais Tereza Siqueira Tupinambá e Cleômenes do Carmo Chaves. Também participaram das programações estudantes das escolas municipais Ana Mota Braga e Villa Lobos.

O Circuito da Ciência é um projeto socioeducativo desenvolvido há 17 anos em Manaus. Nele, crianças e jovens de várias faixas etárias, matriculados em escolas da rede pública, têm contato com pesquisas científicas realizadas em âmbito regional. Um dos focos do projeto é a Educação Ambiental.

De acordo com o coordenador do Circuito da Ciência, Jorge Lobato, o projeto tem alcançado seus objetivos, propondo uma reflexão acerca das questões ambientais. “É uma ação de grande relevância que firma cada vez mais o nosso compromisso em levar conhecimento para a sociedade. Em 17 anos de atividades, o projeto já beneficiou mais de 60 mil estudantes, que têm a oportunidade de desenvolver um olhar crítico sobre essas questões ambientais quando entram em contato com essa realidade na prática”, afirmou o coordenador.

No Bosque da Ciência, as programações incluíram oficinas sobre invertebrados, insetos aquáticos, malária, dengue, leishmaniose, alimentação saudável e também sobre mamíferos aquáticos da Amazônia, em parceria com a Associação Amigos do Peixe-boi (Ampa).

Os estudantes, acompanhados por seus professores, tiveram acesso a oficinas de teatro, exposições sobre unidades de conservação, visitas guiadas ao complexo de mamíferos aquáticos, às trilhas interpretativas e a outras programações.

A ciência na prática

Acompanhando os estudantes durante as atividades do Circuito da Ciência, a professora da disciplina de Ciências da escola estadual Cleômenes do Carmo Chaves, Lucimara Pereira da Silva, destacou a importância de atividades como esta para reforçar o trabalho desenvolvido na escola. “Os estudantes tiveram a oportunidade de sair da sala de aula e vivenciar outra realidade, fazendo descobertas sobre o mundo científico. Esse também é um incentivo para que os jovens despertem a curiosidade sobre temas importantes que envolvem as questões ambientais”, explicou a professora.

Para o estudante do 1º ano do ensino médio da escola Cleômenes do Carmo Chaves, Gabriel Souza Lira, 14, participar das atividades foi uma experiência muito proveitosa. “A atividade foi muito importante para que nós possamos transmitir aos nossos colegas o conhecimento sobre ciência e meio ambiente”, afirmou Gabriel.

O gestor da escola, Cleômenes do Carmo Chaves, professor Roberto Araújo, comentou que atividades como esta, contribuem para a aprendizagem e reforçam a participação escolar dos estudantes.

*Jornal de Humaitá – Com informações da assessoria.

Load More Related Articles
Load More In Jornal de Humaitá
Comments are closed.

Check Also

Filho ilustre de Humaitá é preso na 2º fase da operação Maus Caminhos

Manaus.  Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (13) a segunda fase da Operação Maus…