Governo

Reajuste da tarifa de ônibus polariza discussões na Câmara Municipal de Manaus

Reajuste da tarifa de ônibus polariza discussões na Câmara Municipal de Manaus

O reajuste da tarifa do transporte coletivo — já descartado pelo prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto (PSDB), e suspenso por decisão do Tribunal de Justiça do Amazonas — polarizaram as discussões dos vereadores na sessão plenária na manhã desta terça-feira (10) da Câmara Municipal de Manaus (CMM). Os parlamentares posicionaram-se contra o reajuste e manifestaram apoio ao prefeito, que briga na Justiça contra o reajuste solicitado pelos empresários, que é de 12,37%.

Álvaro Campelo (PP), que abriu as discussões sobre o tema, criticou o relatório apresentado pelo Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros (Sinetram), que contratou a empresa de consultoria Ernest & Yang, para fazer os estudos que embasam o pedido de reajuste.

Os dados obtidos a partir das fontes utilizadas no trabalho, que incluem o Sinetram, SMTU, IBGE e ANTT, “não foram alvos de qualquer auditoria contábil ou análise quanto à sua adequação, não havendo qualquer responsabilidade da Ernest & Yang quanto à sua exatidão”, como diz o relatório. “Se esses estudos incluem a SMTU, porque o sindicato patronal quer que a Câmara peça estudo da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos?”, questionou o vereador, que também levantou suspeita do envolvimento do sindicato patronal com as paralisações dos trabalhadores para forçar o aumento da tarifa.

O presidente da Casa, vereador Wilker Barreto (PHS), ratificou apoio ao prefeito pela sustentação ao não aumento da tarifa do transporte e o repúdio aos empresários do segmento. “Manaus é a única capital que há três anos não reajusta a tarifa, criando corredores exclusivos, com muita dificuldade, desonerando a planilha e sistema para aumentar o índice de passageiro por quilômetro”, destacou.

O parlamentar fez um apelo ao sindicato dos rodoviários, que neste momento de crise, também entenda o apelo das ruas. “Não podemos chamar a data-base, fazendo o aumento do dissídio, sem forçar o aumento da tarifa”, frisou, ao destacar que 51% da planilha é folha de pessoal, tendo ainda o terceiro maior salário da categoria do Brasil. “O prefeito foi muito claro. Não vou dar o aumento, porque não vou penalizar a grande massa de desempregados neste momento de crise. Todo mundo tem de dar sua cota de sacrifício. Brasil afora, quem conseguiu a data-base? Por que vamos penalizar um milhão de usuários?”, enfatizou durante seu discurso na tribuna da Casa.

A vereadora Socorro Sampaio também condenou a luta do Sinetram pelo reajuste. “Os empresários sabem que o País passa por uma crise e Manaus também. É muito engraçado justificarem que não podem dar reajuste por conta da crise, e população que paga para andar de ônibus também não vive essa crise?”, questionou. A vereadora lembrou, ainda, que é essa população que precisará desembolsar de R$ 3 a R$ 3,55. “É muito dinheiro para quem ganha o salário mínimo, que tem filhos para sustentar e filhos na escola”, garantiu ela, ressaltando a ineficiência e a ineficácia do transporte coletivo.

O vereador Plínio Valério (PSDB) acredita que o reajuste da tarifa de ônibus é questão de tempo. “O Judiciário vai mandar pagar, ele sempre cede às reivindicações dos patrões. Temos que mostrar que a culpa não é do Parlamento e nem do Executivo”, disse ele, que defendeu a retirada do subsídio de mais de R$ 1 milhão. “A tarifa não tem que aumentar e se aumentar que se retire o subsídio”, disse.

Para o vereador Joãozinho Miranda (PTN) é complicado reajustar tarifa nesse momento de crise, quando a sociedade sofre com desemprego e falta de recursos. “Está difícil até a pessoa sair em busca de emprego por falta de recurso. É querer reajuste, recebendo subsídio dos governos municipal e estadual, não é o momento certo”, afirmou, ao defender a indexação do reajuste da tarifa ao aumento do salário mínimo. “Porque todo ano é essa mesma novela”, garantiu.

O vereador Professor Bibiano (PT), acredita que a atual tarifa do transporte coletivo é injusta e que essa injustiça já foi constatada em 2004, quando da realização de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do transporte coletivo. “Naquela ocasião já se constatou o sobrepreço de R$ 0,20 em cima da tarifa. Tenho certeza que isso está acontecendo nesse exato momento”, disse ele, que propõe nova CPI do Transporte Público na Câmara.

Momento de crise

Junior Ribeiro (PTN) e Roberto Sabino (PROS) também defenderam a manutenção da tarifa, diante da dificuldade da população com a crise econômica. “O impacto é grande. Se os empresários estão com dificuldade, imagine os trabalhadores. É absurdo esse aumento”, disse Ribeiro.

Roberto Sabino vê que o momento é de dar apoio ao prefeito de Manaus que tem se esforçado e procurado ajudar a sociedade, lutando contra o reajuste da tarifa. “O prefeito Arthur Neto tem se esforçado para derrubar essa medidas”, afirmou.

Waldemir José (PT), por sua vez, diz que a solicitação do Sinetram para que a Câmara cobre a planilha de custos da SMTU, indica que um está desconfiando do outro. “Se há desconfiança, devem colocar as planilhas à Mesa, pois o que interessa é o custo real da tarifa”, lembrou. O vereador propôs a criação de uma Comissão composta por vereadores, Prefeitura de Manaus, Sinetram, sociedade, conselhos regionais de Economia e Contabilidade para a realização de uma auditoria na planilha.

Apoio ao prefeito

Líder do Governo Municipal na CMM, o vereador Elias Emanuel (PSDB) rebateu críticas da oposição, reafirmando a posição do prefeito de não conceder o aumento da tarifa. O vereador contra-argumentou, também, ressaltando a decisão favorável do TJAM, que suspendeu mais uma vez o reajuste da tarifa, atendendo a um Pedido de Tutela Provisória de Urgência, formulado pela Prefeitura de Manaus, e mantendo o valor da passagem em R$ 3 até o julgamento do mérito.

Como declarou Elias Emanuel, a Prefeitura de Manaus justificou que o pedido de reajuste de 12,37% “não tem qualquer fundamentação ou justificativa prática, uma vez que as empresas de ônibus não comprovam, por meio de documentos apresentados pelo departamento jurídico, quaisquer investimentos por elas realizados para a melhoria do serviço, seja no maior aparelhamento dos veículos, renovação de frota, seja na qualificação ou profissionalização de pessoal”.

Arlindo Júnior (PROS) elogiou a atitude do prefeito em não aceitar o reajuste da tarifa. “Pela primeira vez vejo um prefeito garantir que não vai ter aumento de tarifa”, disse, ressaltando que viu em outras ocasião na discussão de aumento de tarifa, os empresários pedirem “x”, e a Prefeitura ceder um pouquinho, ao contrário do que está acontecendo no atual momento.

Por: Nely Pedroso – DIRCOM/CMM

Comentários

Comentários

Governo

More in Governo

Produtores rurais de Manacapuru são capacitados para o uso correto de agrotóxicos

Jornal de Humaitá15 15America/Manaus setembro 15America/Manaus 2017

Documento reforça argumentos contra a reforma trabalhista

jornal de Humaitá11 11America/Manaus julho 11America/Manaus 2017

FMT anuncia início de testes de novo tratamento, inédito no mundo, para pacientes com HIV

Jornal de Humaitá28 28America/Manaus Abril 28America/Manaus 2017

Seped divulga prazos do edital para as instituições que trabalham na promoção dos direitos das Pessoas com Deficiência

Jornal de Humaitá10 10America/Manaus Março 10America/Manaus 2017

Inscrições para o Projeto de Operacionalização dos Centros Estaduais de Convivência da Família e do Idoso – CAFs começam nesta sexta-feira

Jornal de Humaitá10 10America/Manaus Março 10America/Manaus 2017

Governo do Estado leva a estrutura para o Carnaval 2017

Jornal de Humaitá25 25America/Manaus Fevereiro 25America/Manaus 2017

Defensoria Pública reúne defensores e conselheiros tutelares para aprimorar atendimento

jornal de Humaitá19 19America/Manaus Fevereiro 19America/Manaus 2017

Sexta Edição do Torneio Manaus de Atletismo ocorreu neste sábado, dia 18, e reuniu mais de 100 atletas na pista de Atletismo da Vila Olímpica de Manaus

jornal de Humaitá19 19America/Manaus Fevereiro 19America/Manaus 2017

FRENPAC-AM REALIZA AUDIÊNCIA PÚBLICA EM CAREIRO DA VÁRZEA

jornal de Humaitá17 17America/Manaus Fevereiro 17America/Manaus 2017
Seja bem vindo.

Categorias

Arquivos

Copyright © 2017 Jornal de Humaitá