No próximo sábado, 7 de maio, das 8h às 12h, no Centro de Convivência da Família Magdalena Arce Daou (Avenida Brasil, s/nº, Santo Antônio, zona oeste), a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência vai participar da 6ª Edição do Projeto “Saúde de Rua 2016 – Somos Todos Especiais”. No evento, são esperadas mais de 20 mil pessoas. O tema escolhido foi focado na inclusão de pessoas com deficiência, contando com o apoio, em caráter consultivo e participativo da Seped.

 
A Secretaria, por meio do Projeto Viver Melhor Atividades Motoras, irá contribuir com as atividades físicas adaptadas à pessoa com deficiência e mobilidade reduzida, com intuito de sensibilizar a sociedade na prática de atividades adaptadas, de forma a vivenciar algumas dificuldades, observadas diariamente, no cotidiano das pessoas com deficiência.
 
As atividades serão apresentadas da teórica à prática com explanação sobre os direitos da pessoa com deficiência, dicas de convivência, orientação e mobilidade para pessoa com deficiência visual, manejos de cadeira de rodas para pessoa com deficiência física, orientações posturais para vida diária da pessoa com ou sem deficiência, vídeo dance para o público em geral e serviços de tradução e interpretação de Libras para atender as pessoas surdas.
 
O projeto oferece serviços voltados ao público em geral, que terá acesso gratuito a uma série de atendimentos básicos ligados a área de saúde como avaliação física e corporal, fisioterapia e massoterapia, consultas e exames médicos, entre outros.
 
Atividades para as mães – Além disso, o Saúde de Rua oferecerá aulas de aeróbica e dança, apresentações teatrais, jogos e outras atividades esportivas nas quais a comunidade terá a orientação de profissionais especializados. O evento acontece nas vésperas do Dia das Mães, por isso, serão oferecidos serviços estéticos como depilação de sobrancelha, buço e esmaltação.
Carregar mais artigos relacionado
Carregar mais em Jornal de Humaitá
Comentários estão fechados.

Verifique também

MPT encontra indícios de demissão discriminatória por idade na Estácio de Sá

Levantamento feito em uma lista de 77,8% dos professores dispensados mostra que eles têm m…