A programação junina promovida pelo Governo do amazonas continua neste mês de julho. Na tarde desta sexta-feira, dia 1º, foi a vez do Centro de Convivência da Família Maria Miranda Leão, no Alvorada, zona centro-oeste da capital, entrar no clima das festividades de São João.

A festança no Centro de Convivência da Família Maria Miranda Leão já em sua 7ª edição. Neste ano, a celebração contou com a apresentação de quadrilhas juninas, danças típicas, brincadeiras e até um estúdio de maquiagem característica do período junino, onde todos puderam se caracterizar como caipiras e entrar no clima da comemoração.

“Com a ajuda dos próprios frequentadores aqui do Miranda Leão, nós realizamos mais uma edição do nosso tradicional arraial e promovemos a interação entre o nosso público e os moradores do bairro, oferecendo lazer e diversão a todos”, afirmou a coordenadora do Centro, Cibele Freitas.

Animação – Com de 60 anos, uma das frequentadoras do Centro, Francilene Sabóia, era uma das mais animadas durante as apresentações. De acordo com ela, que se apresentou duas vezes para o público, participando de uma quadrilha e dançando flashback, a disposição é fruto das atividades que ela desenvolve na própria unidade. “Eu danço, corro, faço arte e muitas outras atividades aqui no Centro. Antes de me matricular aqui, eu não conseguia fazer nada disso. Agora olha o show que estou dando. Fico muito feliz e satisfeita com isso”, disse.

Comidas típicas – As tradicionais guloseimas juninas foram os grandes destaques da festa: bolo de milho, mingau, banana frita. Ninguém ficou sem opção para se deliciar com as barraquinhas montadas no lado de fora do espaço. “Para mim, a melhor parte do arraial é sempre a grande variedade de comidas típicas e hoje as opções estão maravilhosas”, disse a aposentada Maria Ferreira, de 65 anos.

FOTOS: VALDO LEÃO/SECOM

Carregar mais artigos relacionado
Carregar mais em Cidades
Comentários estão fechados.

Verifique também

MPT encontra indícios de demissão discriminatória por idade na Estácio de Sá

Levantamento feito em uma lista de 77,8% dos professores dispensados mostra que eles têm m…