FUNDAÇÃO ADRIANO JORGE - FOTO NATHALIE BRASIL (2)
Fundação Hospital Adriano Jorge (FHAJ), no bairro Cachoeirinha,zona Sul de Manaus. (FOTO: NATHALIE BRASIL / SECOM)

A Secretaria Estadual de Saúde (Susam) pretende implantar o quarto turno, para ampliar o atendimento a pacientes de hemodiálise, na Fundação Hospital Adriano Jorge (FHAJ), no bairro Cachoeirinha,zona Sul de Manaus. A iniciativa faz parte de uma série de medidas que vêm sendo adotadas, com a finalidade de aumentar a capacidade de atendimento aos renais crônicos. A informação foi divulgada nesta segunda-feira, dia 4, pelo secretário Adjunto de Atenção Especializada da capital, Wagner Souza, em audiência sobre o tema, na Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM).

O quarto turno terá início por volta das 20h e a Susam já iniciou uma consulta aos pacientes, para identificar aqueles que têm condições e interesse de fazer o tratamento neste horário. A expectativa, segundo Wagner Souza, é que em breve seja dado início ao processo de oferta do serviço no novo horário.

De acordo com Souza, o Governo do Estado está reforçando a oferta de atendimento aos renais crônicos, com investimento em estrutura própria. “O serviço de hemodiálise implantado este ano, na FHAJ, iniciou no mês de abril atendendo a 31 pacientes e já caminha para 96”, ressaltou. Além disso, por meio do Fundo de Promoção Social (FPS), o Governo do Estado repassou à FHAJ, em junho, recursos da ordem de R$ 1,8 milhão, para execução da segunda etapa de estruturação do serviço de hemodiálise da unidade. Com isso, sua capacidade será ampliada, disse ele, para receber 300 pacientes até o final do segundo semestre.

Em relação às pessoas atendidas pela Clínica Renal de Manaus, ele informou que as medidas que estão sendo adotadas pela Susam para ampliar a oferta do serviço visam, também, absorver esses pacientes. A clínica comunicou à Susam que não pretende renovar o contrato, que se encerrará no dia 18 de outubro, a menos que seja reajustado o valor da tabela do Sistema Único de Saúde (SUS) para esse tipo de serviço. “Estamos em conversa com a clínica, mas caso a decisão seja mantida, já estamos tomando todas as providências para garantir que não haja interrupção de tratamento”, acrescentou, explicando que os recursos são federais e a tabela é a mesma para todo o País.

“Não é uma decisão que possa ser tomada pelo estado ou que se possa adotar uma remuneração diferenciada para o Amazonas”, destacou, adiantando que o assunto foi discutido com o ministro da Saúde, Ricardo Barros, no último dia 30, durante a Assembleia do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), em Brasília (DF). O pleito para reajuste da tabela foi levado à reunião pelo secretário de Saúde do Amazonas, Pedro Elias de Souza e, a seu pedido, foi incluído na pauta de reivindicações junto ao ministro, que prometeu analisar.

O representante da Clínica Renal de Manaus, Carlos Lins, que também participou da audiência na Defensoria, confirmou que tem conversado sobre o assunto com a Susam, reforçou que os serviços serão mantidos até outubro e, se for necessário, que poderão ser prorrogados por mais três a quatro meses.

Estrutura de atendimento – Além da Clínica Renal e da FHAJ, a Susam mantém convênio para o serviço de hemodiálise com o Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV) e mais 3 clínicas privadas conveniadas ao SUS, dentre elas, o Hospital Santa Júlia, que já normalizou o atendimento.

A audiência na Defensoria foi coordenada pelo defensor público Carlos Alberto Almeida Filho e contou com a presença do subprocurador geral adjunto, Leonardo de Borborema, e da presidente da Associação de Pacientes Renais do Amazonas, Renata Carvalho.

faça um comentários
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais em Cidades
Comments are closed.

Leia mais

Criação de RDS do Rio Manicoré depende apenas de decisão do governo

“A criação da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Rio Manicoré depende agora m…