Foto: Divulgação
Foto: Reprodução

Com pensamento de expandir o comércio de produtos oriundos da Amazônia para outros países, empreendedores de Manaus criaram, com apoio do Governo do Amazonas via Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) e, em parceria com a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), o “Amazon Forest Trading”, ou “Floresta Amazônica em Negociação, uma plataforma virtual que disponibiliza matérias-primas regionais para venda, tudo de forma sustentável preservando a floresta.

Desenvolvido no âmbito do Programa de Subvenção Econômica à Inovação Tecnológica em Micro e Pequenas Empresas (Tecnova), é possível com apenas um clique na página amazonforestrading.com.br conhecer os principais produtos em exposição, ver detalhes, descrição do material e fazer orçamento para efetuar a compra.

O trabalho que é desenvolvido pela empresa Liga Consultoria Técnica e Projetos em parceria com a Portela Woods busca o desenvolvimento de mercados para produtos, preservando a floresta e, viu neste mercado uma oportunidade de aproximar o comprador e o vendedor.
Entre os produtos em exposição na plataforma estão o açaí (polpa, pó e misturas), óleos como: pracaxi, açaí, andiroba, copaíba, castanha do Brasil e produtos madeireiros, “decks”, móveis e casas de madeiras.

Valorizando o trabalho local, um dos responsáveis pelo projeto, Alexandre Rivas, disse que a ideia principal da plataforma é de fazer com que comprador e vendedor conversem. “Qual é o problema que acontece muito na região? A pessoa produz o açaí no Amazonas, mas quem compra está nos Estados Unidos, por exemplo. Sabe quando eles vão conversar? Nunca. A ideia é desenvolver um sistema onde pudéssemos colocar em contato tudo isso. Passar para por uma plataforma”, explicou Rivas.

O “Amazon Forest Trading” oferece um leque em opções de produtos do mercado amazônico facilitando a busca para o comprador e ainda irá movimentar economia do Amazonas por meio da venda e exportação dos materiais. “Nosso trading é diferente. É a ideia de comércio da Amazônia. Toda a exportação que foi feita por aqui, foi contratada pela o trading daqui. Sabemos que o mercado tem retorno, mas que é preciso que ter um planejamento para atender as demandas de outros locais”, enfatizou Rivas.

*Jornal de Humaitá – Com informações da assessoria.

faça um comentários
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais em Amazonas
Comments are closed.

Leia mais

Criação de RDS do Rio Manicoré depende apenas de decisão do governo

“A criação da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Rio Manicoré depende agora m…