A Frente em Defesa dos Portos, Hidrovias e Navegação, presidida pelo deputado federal Marcos Rogério (DEM-RO), se reuniu nesta segunda-feira (10/10) com o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, para discutir a Lei dos Portos e a desburocratização do setor.

Com a presença dos representantes dos portos delegados de diversas regiões, Marcos Rogério explicou ao ministro que a centralização da gestão, na figura da Secretaria dos Portos e da Agência Nacional de Transportes Aquaviário, paralisa o setor e inibem os investimentos do setor privado.

“A centralização não causou o efeito positivo desejado, de dinamismo e agilidade nos processos de arrendamentos e investimentos no setor portuário”, pontuou Marcos Rogério. Segundo o parlamentar, com a descentralização, a previsão é que aumentem os investimentos do setor privado, além da geração de emprego e renda, sem onerar o governo.

“Com a descentralização mais de 10 bilhões em investimentos serão destravados por meio da iniciativa privada. Isso gera emprego e renda para a população e movimenta a economia, o que é extremamente importante para o país nesse momento de crise”, salientou.

O apelo dos representantes dos portos delegados foi acolhido pelo ministro Eliseu Padilha, que prometeu a elaboração de um decreto presidencial aperfeiçoando a Lei dos Portos e disciplinando a delegação.

Acompanharam a reunião a diretora-presidente do Porto de Cabedelo (PB), Gilmara Pereira Temóteo, o CEO do Porto São Sebastião, Casemiro Tércio Carvalho, o presidente do Porto de São Francisco, Paulo Corsi e o presidente do Porto de Itaqui, Ted Lago.

Carregar mais artigos relacionado
Carregar mais em Cidades
Comentários estão fechados.

Verifique também

MPT encontra indícios de demissão discriminatória por idade na Estácio de Sá

Levantamento feito em uma lista de 77,8% dos professores dispensados mostra que eles têm m…