Pesquisa apoiada pela Fapeam pretende otimizar e contribuir para novas políticas públicas

Como resultado de um estudo desenvolvido pelo Programa de Apoio à Iniciação Científica (Paic), do Governo do Estado por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), o estudante de Estatística da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Lucas Roberto Castro, desenvolveu uma ferramenta online que monitora o Sistema de Informação sobre Mortalidade (Sim) e o Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinam), dos municípios do Amazonas para que fiquem sempre atualizados.

De acordo com o estudante, o Sim e o Sinam constituem um papel fundamental não apenas para as pesquisas científicas, mas também para a promoção de políticas públicas voltadas à área da saúde. “Diante disso, é importante que as informações contidas nesses sistemas estejam sempre atualizadas. O Ministério da Saúde estabeleceu por meio da portaria GM/MS 201/2010 alguns parâmetros que precisam ser cumpridos por Estados e municípios em relação ao volume das informações referentes a esses sistemas, sob pena de corte de recursos do componente de vigilância e promoção da saúde. Por isso, o objetivo desse trabalho foi desenvolver essa ferramenta que otimiza as ações de monitoramento dos sistemas Sim e Sinam no contexto estadual”, explicou Lucas.

A ferramenta online foi disponibilizada na home page do Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), onde Lucas apresentou os resultados do projeto de pesquisa no final de agosto deste ano e recebeu o certificado de honra ao mérito pelo trabalho realizado.

Para o estudante, os resultados da pesquisa podem ser úteis para alavancar o estudo de novas formas de visualização da informação para sistemas do Governo. Segundo ele, um dos principais beneficiados com a execução do projeto é o próprio gestor dos sistemas Sim e Sinan no Estado, que neste caso é a Fundação de Vigilância em Saúde no Amazonas (FVS-AM).

“A FVS poderá ter suas ações facilitadas por meio do uso desta ferramenta, poupando um tempo que poderá ser investido em ações que visam a melhoria na parte qualitativa das informações enviadas pelos municípios, e também o Amazonas como um todo, uma vez que se mais de 30% dos municípios não cumprirem a meta, o Estado é penalizado com a perda de recursos”, disse Lucas Castro.

O projeto de pesquisa contou com o apoio da Fapeam, que entrou com o recurso de bolsas de iniciação científica, com a parceria da FVS-AM que forneceu as informações para serem mostradas na ferramenta, além do modelo das planilhas de coleta dos dados que foram utilizadas na realização de simulações, e com o apoio da Fiocruz que disponibilizou a equipe do Serviço de Informática (Seinfo) para auxiliar na questão da hospedagem da ferramenta no servidor do Instituto.

“Sem o apoio dessas instituições, o estudo não seria concluído. Todas tiveram um papel fundamental na execução desse trabalho e a Fapeam foi o ‘start’ para isso. Acredito que o caminho mais promissor para o desenvolvimento de uma nação é através da Ciência e Tecnologia, e esse incentivo fornecido pela Fundação de Amparo desde o Ensino Médio, passando pela Graduação, como é o meu caso, até ao doutorado, contribui de forma singular para esse desenvolvimento”, afirmou Lucas.

Para o estudante, a experiência despertou a vontade de continuar na área da pesquisa e produzir resultados úteis não somente para a ciência, mas para a sociedade.

Carregar mais artigos relacionado
Carregar mais em Amazonas
Comentários estão fechados.

Verifique também

MPT encontra indícios de demissão discriminatória por idade na Estácio de Sá

Levantamento feito em uma lista de 77,8% dos professores dispensados mostra que eles têm m…