Cidades

Projeto busca conscientizar jovens sobre o vírus HIV

Projeto busca conscientizar jovens sobre o vírus HIV

Pesquisa no âmbito do PCE é realizada por estudantes da Escola Estadual Castelo Branco

Com o propósito de conscientizar os jovens sobre as doenças sexualmente transmissíveis, estudantes da Escola Estadual Presidente Castelo Branco, no bairro São Jorge, zona Oeste de Manaus, investigam a “Suscetibilidade da contaminação do vírus HIV em adolescentes do município de Manaus”. O estudo é desenvolvido no âmbito do Programa Ciência na Escola (PCE) da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) e deve ser concluído em dezembro deste ano.

O trabalho é coordenado pelo professor de biologia da escola, Ederson Gonçalves, e conta com o envolvimento de seis alunos do 3º ano do Ensino Médio: Guilherme Vasconcelos, 18, Kerlison Souza, 20, Mayra Nascimento, 17, Thyfany Oliveira, 17, Nicoly Uchôa, 17, e Mena Bianca, 17. A escola onde o projeto é realizado fica no bairro São Jorge, na Zona Oeste de Manaus.

Segundo o professor, o estudo pretende identificar a vulnerabilidade do adolescente na contaminação do vírus HIV. Ele destaca que o interesse em investigar o tema surgiu a partir do aumento dos casos da doença em nível nacional. “Queremos identificar qual é o ponto que está fazendo com que os adolescentes fiquem tão suscetíveis à contaminação. Será a falta informação em casa? Na escola? Se é iniciação cada vez mais cedo na vida sexual aliada à falta de informação?”, indagou o educador.

Para coletar dados e creditar as hipóteses levantadas pelos próprios bolsistas, o grupo de pesquisa desenvolveu questionários que abordam aspectos sociais, educacionais e vida sexual de adolescentes de 12 a 18 anos de idade. Os questionários serão aplicados em turmas da escola, escolhidas por meio de sorteio, e em adolescentes soropositivos, via parceria com a Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD). Não será necessária a identificação do entrevistado.

O coordenador da pesquisa ressaltou que o tema sexualidade tem que ser tratado como um assunto normal. “Nosso erro é tratar o tema como tabu, como algo que não deve ser discutido”. Para Gonçalves, o Ensino Médio tem o papel de preparar o aluno para a vida. “O conhecimento só é válido quando o aluno consegue aplicar no cotidiano e o PCE tem contribuído nesse processo”, disse o professor.

“Quando tratamos de Biologia, tratamos de saúde de modo geral. Falamos sobre educação sexual, os vírus, o desenvolvimento de doenças, mas, muitas vezes, não falamos sobre prevenção, só damos o conhecimento técnico e não preparamos o aluno para aplicar o conhecimento na vida, não está sendo válido. Essa é importância do PCE: os próprios adolescentes vão orientar outros”, explica Ederson.

Importância da pesquisa
O bolsista Guilherme Vasconcelos acredita que o projeto de pesquisa é importante, pois alerta a juventude sobre os riscos da contaminação do vírus HIV. “O adolescente é o mais vulnerável. Em nossas pesquisas, conseguimos coletar a seguinte informação: se hoje temos um índice de adultos que estão contaminados, eles não foram contaminados na fase adulta e, sim, na adolescência. Esse é um trabalho de prevenção para que a doença não se dissemine ainda mais”, disse o aluno.

Kerlison Souza contou que antes do projeto, o assunto era pouco discutido tanto em casa como na escola, mas o cenário tem se modificado e a discussão sobre HIV/Aids se tornado mais frequente nos grupos de amigos. Diferente de Kerlison, a aluna Mayra Nascimento contou que a família sempre conversou sobre o assunto, mas que com o PCE ela pode aprofundar seu conhecimento.
“Por meio do PCE, tenho alcançado mais entendimento sobre HIV. Apesar da minha família ser muito aberta para o diálogo, não tinha tido a experiência de debater com meus colegas sobre o tema. É muito bom ouvir outras opiniões. Hoje eu sinto a preocupação de falar com minhas colegas sobre HIV e falar o que é certo para elas”, disse a estudante.

A também bolsista do PCE, Thyfany Oliveira, acredita que o contato de adolescente para adolescente poderá contribuir de forma relevante para conscientização sobre os riscos da contaminação do vírus HIV. “Nosso contato maior é com esse público. Como a linguagem é a mesma, a abordagem fica mais direta. O alerta precisa ser feito de forma eficaz”, contou a estudante.

Comentários

Comentários

Cidades

More in Cidades

Safra do guaraná em Maués (AM) já rendeu 200 toneladas

Jornal de Humaitá23 23America/Manaus novembro 23America/Manaus 2017

Urgente! Ônibus de Apuí(AM) com destino a Porto Velho (RO) capota

Jornal de Humaitá22 22America/Manaus novembro 22America/Manaus 2017

Comitiva Parlamentar realiza visita a BR-319

Jornal de Humaitá18 18America/Manaus novembro 18America/Manaus 2017

Como preparar a equipe de atendimento para as demandas da Black Friday

Jornal de Humaitá18 18America/Manaus novembro 18America/Manaus 2017

Urgente! Motociclista morre em acidente de trânsito em Humaitá-AM

Jornal de Humaitá16 16America/Manaus novembro 16America/Manaus 2017

Whatsapp: Vídeo compartilhado mostra briga em escola de Humaitá-AM

Jornal de Humaitá14 14America/Manaus novembro 14America/Manaus 2017

Prefeito promete que vai pavimentar rua que liga conjuntos em Humaitá-AM

Jornal de Humaitá11 11America/Manaus novembro 11America/Manaus 2017

Caravana BR-319, formada por deputados, percorrerá rodovia a partir de terça, 14

Jornal de Humaitá11 11America/Manaus novembro 11America/Manaus 2017

Escola abandonada pelo Estado tem Princípio de incêndio em Lábrea-AM

Jornal de Humaitá11 11America/Manaus novembro 11America/Manaus 2017
Seja bem vindo.

Categorias

Arquivos

Copyright © 2017 Jornal de Humaitá