Em torno de 60 pessoas entre líderes da indústria e inovação, alunos, professores e Start ups participaram nesta sexta-feira, dia 18, do Workshop Leadership & Innovation Management a New and Different Approach, realizado no Auditório do UNA-SUS Amazônia. O evento é uma realização da Agência de Inovação da Universidade do Estado do Amazonas (Agin-UEA). O objetivo é disseminar projetos inovadores, identificar oferta e demanda de tecnologia, além de promover parcerias e convênios para o desenvolvimento de projetos de interesse institucional e formar lideranças de gestão de inovação.

O workshop foi ministrado pelo diretor de desenvolvimento e inovação, Fabio Zimmermann e o diretor administrativo, Fernando Quintans, da STEINBEIS–SIBE do Brasil, a convite da Agin-UEA. A proposta da Agência de Inovação da UEA é convocar as indústrias para serem investidores dos projetos desenvolvidos dentro da universidade.

De acordo com o reitor da UEA, Cleinaldo Costa, o Brasil é um país em desenvolvimento e este é o momento que a Universidade forme pessoas para potencializar a indústria e nossos recursos humanos. “A indústria gera riqueza para o nosso Estado e também mantém a UEA. O ambiente bom para os negócios é o ambiente que a universidade irá crescer e captar recursos. A universidade está de portas abertas para a comunidade e futuras parcerias”, salientou.

A diretora da Agência de Inovação da UEA, Kátia Meirielle, explicou que para o workshop foi desenhado um perfil de público. “O público foi direcionado para atender o que a Universidade pretende oferecer para o mercado e para a indústria”, elencou.

O diretor de desenvolvimento e inovação da STEINBEIS–SIBE do Brasil, Fabio Zimmermann, elencou que o Workshop trabalhou o conceito de inovação enquanto ativo, um processo organizacional. “A chave da inovação está ligada a ativos, processos e estruturas, mas o primordial acontece quando as pessoas estão motivadas e alinhadas aos objetivos organizacionais”, observou.

Ainda durante o Workshop foram apresentados, pelos professores da UEA, os laboratórios e projetos aos representantes da STEINBEIS–SIBE do Brasil, às indústrias e startups. O professor da UEA, Jansen Atier Estrázulas, exaltou a iniciativa do workshop e avaliou de forma positiva para a universidade. “É importante para que a UEA cresça em relação à pesquisa e iniciação científica”, salientou.

Próximos passos

Na próxima semana serão realizados mais três encontros. No dia 22 de novembro, acontecerá um treinamento com representantes da indústria para discutir as perspectivas da Lei de P&D, o que o Estado pode esperar, e a interação da UEA em relação ao atendimento das indústrias locais. No dia 23 de novembro será realizado uma formação para os professores da UEA com uma consultora de fora para ouvir quais são as maiores dificuldades junto a cadeia produtiva. No terceiro dia, dos cinco representantes de empresas, alguns serão selecionados a partir do Workshop de hoje, e a consultora vai verificar quais delas têm potenciais de investimento. “A partir daí vamos demandar projetos dentro da UEA e desenvolver soluções para atender a demanda específica”, explicou a diretora da Agin-UEA.

Futuras parcerias

A visita de representantes da STEINBEIS–SIBE do Brasil é o começo do diálogo de uma futura parceria com a Universidade do Estado do Amazonas (UEA). A proposta é oferecer um mestrado de no máximo dois anos que, ao final, o projeto de inovação seja desenvolvido para solucionar problemas das indústrias. “As ações não param por aqui e junto com a STEINBEIS–SIBE do Brasil queremos gerar resultados rápidos. O modelo de negócio da Steinbeis é desenvolver um projeto que gere um resultado final e a sociedade se beneficie, não apenas gerar um artigo científicos”, salientou o reitor, Cleinaldo Costa.

Carregar mais artigos relacionado
Carregar mais em Artistas
Comentários estão fechados.

Verifique também

MPT encontra indícios de demissão discriminatória por idade na Estácio de Sá

Levantamento feito em uma lista de 77,8% dos professores dispensados mostra que eles têm m…