O resultado da votação para a escolha do estudante que representará o Amazonas na quarta edição do Parlamento Juvenil do Mercosul (PJM) foi divulgado na última semana pela Assessoria Internacional do Ministério da Educação (MEC). Com 715 votos, a aluna Dafhne Suzan Smith da Silva, 17, estudante do 1º ano do Ensino Médio da Escola Estadual Daisaku Ikeda, localizada no bairro São José IV, Zona Leste de Manaus, foi a grande vencedora e conquistou uma vaga para participar do encontro nacional do programa, cujo local ainda será definido.

Na fase final da seleção, Dafhne concorreu com outros dois estudantes da rede estadual: Maria Vitória Carneiro da Rocha, 16, aluna do 1º ano da escola estadual Senador Petrônio Portella, que conquistou o 2º lugar da competição, com 108 votos; e Marcos Antônio Evangelista Honorato Júnior, 16, aluno do 1º ano do Ensino Médio da escola estadual Vicente Telles de Souza, que ficou em 4º lugar na votação, com 37 votos. O estudante Jonathan Moreira Campos, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (Ifam), do município de Humaitá, conquistou o 3º lugar, com 69 votos. 

O encontro nacional contará com a participação de estudantes brasileiros representando cada Estado e o Distrito Federal e será uma oportunidade para promover o protagonismo juvenil e a integração, abrindo espaços para a discussão de temas de interesse dos jovens.

Satisfação

Com o projeto “A importância do primeiro emprego e a evasão escolar”, Dafhne buscou fazer uma análise do desempenho escolar de jovens que já possuem o primeiro emprego, motivo pelo qual acabam abandonando a escola ou não tendo um bom rendimento para avançar para outro nível de ensino.

“Tendo em vista a necessidade de alguns estudantes de começar a trabalhar cedo, a minha ideia foi propor parcerias entre o Estado e os municípios e os distritos de trabalho, para que os jovens com idade entre 14 e 18 anos, que tivessem com o boletim e frequência escolar de acordo com a lei do menor aprendiz, pudessem ser inseridos em programas e cursos de capacitação profissional. A partir da experiência adquirida é que os alunos poderiam ser integrados em uma empresa”, explicou.

Contente pelo resultado alcançado, a jovem estudante afirma que seu maior objetivo é fazer com que seu projeto tenha uma boa repercussão. “Desde o começo, meu objetivo não era apenas fazer essa viagem, mas conquistar a oportunidade de divulgar o meu projeto e conseguir que ele seja bem aceito, pois a minha proposta é complementar em muitas áreas, seja na área trabalhista, familiar e educativa e propõe soluções diversas para a questão”, contou a estudante. 

Mobilização

Aluna mais bem votada na competição, Dafhne conta que a ajuda da família, amigos, comunidade e também da escola foi fundamental para conquistar esse resultado. “Com a ajuda da minha avó e da minha mãe, saímos nas ruas do bairro em que moro divulgando o projeto. Além disso, contei com o apoio da minha escola e também divulguei a campanha pelo Facebook”, explicou a estudante. 

Para Dafhne Smith, a experiência será muito proveitosa, pois além da troca de experiências entre jovens de diferentes estados, a participação no PJM lhe proporcionará um aprendizado que a ajudará em toda a sua jornada acadêmica.

“Os estudantes que participarão dessa experiência têm uma cultura diferenciada e seus projetos têm características próprias, por isso, será muito boa essa troca de experiências, em que eu aprendo com eles e vice-versa. Além disso, essa oportunidade será muito importante para o meu desempenho escolar”, ressaltou a estudante. 

PJM

Coordenado pela Assessoria Internacional do gabinete do Ministro da Educação, o Parlamento Juvenil do Mercosul conta com o apoio da Secretaria de Educação Básica do Ministério da Educação (MEC); do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif); além das Secretarias Estaduais de Educação de todo o Brasil e do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed).

No Amazonas, a mobilização das escolas para participação no programa foi feita pela Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (SEDUC) por meio de sua Gerência de Ensino Médio. 

O projeto de protagonismo juvenil para estudantes do Ensino Médio surgiu dentro do setor educacional do Mercosul e prevê mandato de dois anos, iniciando sua quarta edição (2016-2018) para exercício de voz na tomada de decisões coletivas.

Os jovens do PJM concentram as reflexões que fazem sobre cinco eixos temáticos: inclusão educativa, gênero, jovens e trabalho, participação cidadã dos jovens e direitos humanos.

Carregar mais artigos relacionado
Carregar mais em Cidades
Comentários estão fechados.

Verifique também

Amazônia é o “futuro do Brasil”, Diz Jair Bolsonaro

Em visita a Manaus Bolsonaro opinou sobre a Amazônia para a multidão e disse que no solo d…