A gestora do Centro de Educação de Tempo Integral/Ceti Prof. Engº Sérgio Alfredo Pessoa Figueiredo, professora Amariles Barroso dos Santos, viaja no próximo dia 7 de novembro para Washington, nos Estados Unidos (EUA), onde participará de um intercâmbio cultural. A viagem é um reconhecimento pelo fato de sua escola ter conquistado, no ano passado, o 1º lugar no Prêmio de Gestão Escolar. 

Com iniciativa do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e demais entidades parceiras, o Prêmio de Gestão Escolar visa estimular a gestão democrática, o desenvolvimento da cultura de autoavaliação escolar e incentivar a melhoria contínua da gestão por meio da elaboração de planos de ação. O prêmio também busca dar visibilidade e valorizar as escolas públicas brasileiras que se destacam pela competência de sua gestão no que se refere à melhoria dos níveis de aproveitamento dos alunos.

Referência na educação do Amazonas, o Ceti Sérgio Pessoa Figueiredo, localizado no bairro Cidade de Deus, Zona Norte de Manaus, é administrado pelo Governo do Amazonas por meio da Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (SEDUC) e responsável pelo atendimento a 960 estudantes dos ensinos Fundamental e Médio em tempo integral.

Com média de 5,8 no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), a escola tem como foco a aprovação dos estudantes, além de promover atividades de incentivo à diminuição da evasão escolar por meio de palestras, oficinas e projetos que estimulam o aprendizado.

Trajetória na educação

Natural do município de Itacoatiara (distante 270 quilômetros de Manaus), Amariles Barroso é formada em Letras e pós-graduada em Gestão Escolar. Iniciou sua trajetória na educação como professora na Escola Estadual Licínio José de Araújo, no município de Urucurituba (distante 212 quilômetros de Manaus), onde permaneceu por quatro anos.

Ao se mudar para a capital amazonense, a professora passou a ministrar aulas nas escolas estaduais Maria Arminda Guimarães de Andrade e Aristóteles Comte de Alencar, ambas no Coroado, Zona Leste de Manaus. Na escola Aristóteles Comte posteriormente assumiu a gestão da unidade de ensino.

Em 2013 foi convidada a assumir a gestão do Ceti Sérgio Pessoa Figueiredo, o que segundo ela, foi um grande desafio e até hoje tem se revelado uma experiência muito compensadora.

“Quando aceitei o desafio de assumir a gestão de um Centro de Tempo Integral foi uma mudança muito grande, pois deixei uma escola pequena, de apenas dez salas de aula, para algo bem maior. Apesar disso, nunca tive medo de encarar as dificuldades que pudessem surgir. Formamos uma equipe de professores muito boa, que tem contribuído positivamente para que possamos ofertar uma educação de qualidade, porque a gestão é isso, todos atuando juntos em um mesmo propósito”, afirmou a gestora.

No ano de 2015, ao conquistar o prêmio, a professora conta que foi uma enorme satisfação, visto que é o que todo gestor almeja receber um dia. “Esse prêmio mostra estamos realizando um trabalho positivo e promovendo uma educação de qualidade. Essa conquista não é apenas minha, mas de toda a equipe de professores, servidores e toda a comunidade escolar, que juntos trabalham para termos êxito em nosso ofício”, afirmou a gestora, contando que sempre imaginou se um dia teria a honra de receber a premiação.

Compromisso 

Há 32 anos no segmento da educação, a professora Amariles revela que ser educadora é ter compromisso, se doar pela profissão. “Ser educador tem os seus desafios, porque é necessário ‘vestir a camisa’ da escola que você está atuando e não apenas cumprir horários. Para se estar em uma escola pública, é necessário ter a visão de que não é por ser pública que não precisa existir disciplina. A escola pública tem sim o seu diferencial”, explicou a professora.

Ao optar pelo Magistério em vez da Contabilidade, Amariles afirma que encontrou a vocação, o amor pela arte de educar. “Quando optei pelo magistério, acabei me encontrando na profissão. Refletindo sobre a minha trajetória, posso afirmar que não saberei fazer outra coisa que não fosse ser educadora”, contou a professora, ressaltando, inclusive, que nem mesmo as férias conseguem fazê-la se desligar da escola.

Expectativa – Sobre o intercâmbio cultural, a professora Amariles afirma que será uma grande experiência muito positiva, pois além de compartilhar um pouco de seu trabalho com educadores de várias partes do mundo. “Acredito que esta será uma experiência única como educadora, pois terei a oportunidade de vivenciar diferentes realidades e voltar com um aprendizado que será muito válido para a nossa escola”, ressaltou.

Referência na comunidade escolar

Para a professora de História e apoio pedagógico, Helem Aquino, que desde 2013 atua no Ceti Sérgio Pessoa Figueiredo, a gestora Amariles é uma referência na escola e seu trabalho tem contribuído com os resultados positivos que a escola vem alcançando.

“Trabalhar na escola é um desafio diário e acredito que a gestora Amariles tem realizado um trabalho extremamente eficaz, cuidando dos interesses dos alunos e professores, sempre com uma visão inovadora, um relacionamento flexível, aberto ao diálogo”, explicou a professora Helem.

Segundo o estudante do 1º ano do Ensino Médio, Thobyas Torres de Araújo, 15, que frequenta a escola desde a sua fundação, no ano de 2013, a gestora Amariles tem feito um trabalho muito positivo com os estudantes.

“Desde a sua criação, sob a gestão da professora Amariles, a escola tem crescido, se destacado na educação pública. A gestora é muito aberta ao diálogo, pois em todas as reuniões, ela afirma que os alunos, pais e professores podem sempre dar sugestões, fazer críticas para que a escola cresça e para mim isso é muito bom”, contou o estudante, ressaltando que sempre quando fala sobre a sua escola, as pessoas ficam encantadas.

Fotos: Divulgação

Carregar mais artigos relacionado
Carregar mais em Amazonas
Comentários estão fechados.

Verifique também

MPT encontra indícios de demissão discriminatória por idade na Estácio de Sá

Levantamento feito em uma lista de 77,8% dos professores dispensados mostra que eles têm m…